Presidente da FIA pretende processar mídia européia

domingo, 27 de julho de 2008 12:17 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O presidente da Federação Internacional de Automobilismo, Max Mosley, disse estar considerando a possibilidade de processar por difamação os meios de comunicação que noticiaram sua participação em uma orgia sadomasoquista.

Na última quinta-feira, Mosley ganhou 60.000 libras ( de 119.100 dólares) de indenização do tablóide britânico News of the World na Alta Corte de Londres, por violação de sua privacidade, provocada pela divulgação de detalhes de uma sessão de sexo com cinco prostitutas de temática alemã.

Em uma entrevista concedida ao Sunday Telegraph, o presidente da entidade que comanda a Fórmula 1 disse que agora pretende processar o News of the World por difamação, além de acionar legalmente organizações de mídia, notadamente da França, Alemanha e Itália, por publicarem fotografias intrusivas sem seu consentimento.

"Eu tenho uma certeza muito grande de que alguns jornais literalmente arruinam a vida das pessoas e é preciso que seja feito mais para acabar com isto", disse ele ao Sunday Telegraph.

A reportagem do News of the World, publicada em março, dizia que Mosley, filho do líder fascista britânico nos anos 1930 Oswald Mosley, havia participado de uma "orgia nazista doentia".

A corte aceitou a alegação dele de que não havia qualquer elemento nazista na orgia publicada no jornal, e que a mulher que filmou o ato também concordou que não havia nada que pudesse caracterizá-lo como tal.

Mosley, 68, sofreu pressões para abandonar seu cargo. No entanto, ele manteve-se na posição após receber um voto de confiança em uma assembléia extraordinária da FIA.

(Por Michael Holden)