Em nome da Olimpíada, Pequim investe contra grandes poluidores

segunda-feira, 14 de abril de 2008 12:06 BRT
 

Por Nick Mulvenney

PEQUIM (Reuters) - A China fechará fábricas e obrigará outras 19 instalações altamente poluentes a reduzirem suas emissões de gás carbônico em 30 por cento durante dois meses, na época das Olimpíadas e das Paraolimpíadas, com o objetivo de melhorar a qualidade do ar para os atletas, afirmou uma autoridade de Pequim na segunda-feira.

As medidas, previstas para vigorar entre os dias 20 de julho e 20 de setembro, são uma tentativa da capital chinesa de cumprir sua promessa de limpar o ar para os Jogos, disse Du Shaozhong, porta-voz da Agência de Proteção Ambiental da cidade.

"Na hipótese de se verificarem condições meteorológicas extremamente negativas ou uma qualidade do ar muito ruim, vamos adotar medidas ainda mais rígidas", afirmou Du em uma entrevista coletiva. "E vai depender da situação verificada naquele momento para decidirmos quais medidas exatamente serão essas."

Segundo o porta-voz, novas restrições poderiam ser impostas também nas Províncias vizinhas de Tianjin, Hebei, Mongólia Interior, Shanxi e Shandong. Já detalhes sobre as regras criadas para diminuir pela metade o tráfego de veículos em Pequim seriam anunciados mais tarde.

Autoridades do governo e administradores de empresas de outras Províncias disseram outras vezes não ter recebido notificações sobre quaisquer planos específicos.

A amplitude dos fechamentos determinará em parte como as Olimpíadas afetarão a economia chinesa.

"Ainda precisamos aguardar para saber se a produção e o consumo serão muito afetados" pelos fechamentos, escreveu no começo deste mês Edward Meir, analista da MF Global.

Entre os 19 grandes poluidores encontram-se a Shougang Steel -- o maior poluidor de Pequim -- bem como o Yanshan Petrochemical Group, a empresa de energia Jingneng Thermal, três outras fábricas nas quais há queima de carvão e a Fabricante Número 27 de Locomotivas.   Continuação...