Agente de Marion Jones é condenado por fraude bancária

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008 17:27 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - Charles Wells, que foi agente da ex-velocista Marion Jones, banida do esporte por uso de doping, foi condenado na quarta-feira a seis meses de prisão domiciliar por seu envolvimento num esquema de falsificação de cheques, um caso que também contribuiu com a desgraça da atleta.

Wells havia confessado em março de 2007 que participou da fraude, estimada em 5 milhões de dólares. Jones, o ex-treinador dela Steve Riddick e o ex-namorado da atleta Tim Montgomery, ex-recordista mundial dos 100 metros rasos, também estavam envolvidos.

Na audiência que proferiu a sentença, em Nova York, Wells, 56 anos, disse ao juiz federal Kenneth Karas: "Foi errado o que eu fiz, e eu deveria saber disso."

O agente, que também trabalhou para Montgomery, foi suspenso por dois anos pela federação norte-americana de atletismo.

Em janeiro, Karas havia sentenciado Jones a seis meses de prisão por mentir a investigadores no caso da fraude bancária e em outra investigação, sobre o uso de esteróides.

Ela deve se apresentar à prisão até 11 de março. A ex-atleta perdeu as cinco medalhas que conquistou na Olimpíada de Sydney-2000.

(Reportagem de Christine Kearney)