Buenos Aires reforça segurança para proteger tocha olímpica

sexta-feira, 11 de abril de 2008 12:23 BRT
 

Por Helen Popper

BUENOS AIRES, Argentina (Reuters) - A polícia da Argentina mobilizou-se nesta sexta-feira para proteger a tocha olímpica durante a passagem da chama por Buenos Aires, preparando-se para enfrentar manifestantes que denunciam a violação de direitos humanos na China, país-sede dos Jogos Olímpicos deste ano.

A tocha chegou à Argentina na quinta-feira, com pouco alarde. Ela deve passar diante da Casa Rosada (palácio presidencial) e por algumas avenidas da capital argentina, onde voluntários de clubes esportivos ajudaram a montar barreiras de contenção desde a madrugada.

Ativistas argentinos contrários à dominação da China sobre o Tibet prometeram realizar "ações surpresa" pacíficas durante o dia, mas disseram que não tentarão apagar a chama como fizeram manifestantes em Londres e em Paris.

"Estamos conclamando as pessoas a adotarem uma postura a esse respeito", disse Jorge Carcavallo, do grupo Tibet Livre, enquanto carregava faixas nas quais se lia a mensagem: "Liberdade de Imprensa."

"Nós acreditamos que haverá manifestações simples, nas quais as pessoas exibirão faixas desse tipo."

Cerca de 1.500 membros da Guarda Costeira, 1.200 policiais e 3.000 funcionários municipais montarão guarda enquanto atletas e personalidades da Argentina carregam a tocha através da capital.

"É difícil atuar nessa situação porque a tocha está em movimento. Há muitas pessoas envolvidas, há a tocha, a chama. Ou seja, há muitos fatores a respeito do qual precisamos estar atentos", disse Francisco Irarrazaval, secretário de Esportes da cidade.

Diego Maradona foi convidado para dar início à cerimônia, mas Irarrazaval disse que o ex-jogador não poderia comparecer devido a compromissos assumidos anteriormente. A estrela do tênis Gabriela Sabatini estava entre os atletas que carregariam a tocha.   Continuação...

 
<p>Seguran&ccedil;as acompanham &ocirc;nibus carregando a tocha ol&iacute;mpica e a delega&ccedil;&atilde;o chinesa no aeroporto internacional de Buenos Aires. A pol&iacute;cia da Argentina preparou-se para enfrentar manifestantes durante a passagem da tocha ol&iacute;mpica pelo pa&iacute;s. Photo by Enrique Marcarian</p>