Por segurança, "carrasco" de 1950 leiloa troféu de ouro

segunda-feira, 21 de julho de 2008 17:36 BRT
 

MONTEVIDÉU (Reuters) - O ex-jogador Alcides Ghiggia, autor do gol que tirou a Copa do Mundo de 1950 do Brasil, vai leiloar um prêmio que recebeu como "lenda" do esporte porque tem medo de deixá-lo em casa, segundo a imprensa uruguaia.

Ghiggia recebeu o troféu Golden Foot --uma estátua de ouro maciço, representando um pé-- em 2006, como reconhecimento por ser um dos grandes jogadores de todos os tempos.

"É muito valioso e é um perigo tê-lo em casa", disse Ghiggia, de 81 anos, segundo o site do jornal local El País (www.elpais.com.uy).

Ele disse também querer evitar possíveis conflitos entre herdeiros. "Embora não se queira, quando alguém falta começam os problemas entras as famílias para ver quem fica com o que. Além disso minha mulher é muito jovem [35 anos] e tenho filhos também. É preciso pensar em deixar-lhes algo, não que eu precise de dinheiro, não estou apertado economicamente."

O leilão ocorrerá na quarta-feira no Banco República (estatal), com lance mínimo de 510 mil pesos (26 mil dólares).

O atacante marcou o segundo gol na vitória de 2 x 1 da "Celeste" sobre o anfitrião Brasil, na histórica partida de encerramento do Mundial, em 16 de julho de 1950, diante de cerca de 200 mil pessoas que lotavam o Maracanã.

"Só três pessoas na história conseguiram calar o Maracanã com um só gesto: o papa [João Paulo 2.], Frank Sinatra e eu", gabaria-se anos depois Ghiggia, que também jogou por Milan e Roma e defendeu a seleção do Uruguai até o final da década de 1950.

(Reportagem de Patricia Avila)