Comitê Olímpico dos EUA pede que Marion Jones devolva medalhas

sexta-feira, 5 de outubro de 2007 21:36 BRT
 

Por Simon Evans

MIAMI (Reuters) - O presidente do Comitê Olímpico dos Estados Unidos, Peter Ueberroth, pediu na sexta-feira à atleta Marion Jones que devolva as medalhas olímpicas que ela conquistou sob uso de doping.

Jones confessou na sexta-feira à Justiça que mentiu a investigadores sobre o uso de esteróides anabolizantes.

"Como mais um reconhecimento da sua cumplicidade nesse assunto, a sra. Jones deveria se apresentar imediatamente para devolver as medalhas olímpicas que ela ganhou quando competia violando as regras", disse Ueberroth.

Jones conquistou cinco medalhas nos Jogos Olímpicos de 2000, em Sydney --sendo três de ouro, inclusive a da importante prova dos 100 metros rasos.

"Como resultado das escolhas que fez, a sra. Jones traiu seu esporte, seus colegas de time, seus competidores, seu país e a si mesma", acrescentou o dirigente.

"Ela agora tem uma oportunidade de fazer uma escolha muito diferente, devolvendo suas medalhas olímpicas, e assim fazendo um reconhecimento adequado dos esforços da vasta maioria dos atletas que escolhem competir limpos."

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, disse esperar que a confissão de Jones ajude a esclarecer melhor o escândalo que cerca o laboratório californiano Balco, que distribuía um tipo de doping invisível nos exames.

"Este é um dia muito triste para o esporte. O único bem que pode ser tirado das revelações de hoje é que a decisão dela de finalmente admitir a verdade desempenhará, esperamos, uma parte importante no esclarecimento do caso Balco", disse Rogge.

"O COI queria desde 2004 aferir até que ponto o caso teve um impacto sobre os Jogos Olímpicos", acrescentou.

(Reportagem adicional de Karolos Grohmann em Atenas)