China inicia exercícios antiterror para Jogos Olímpicos

quarta-feira, 11 de junho de 2008 13:23 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - Em um dia de treinamento, as forças de segurança da China entraram em ação para conter a explosão de uma bomba química de mentira colocada em um quadra de vôlei de praia dos Jogos Olímpicos de Pequim, na quarta-feira, dando início a uma semana de exercícios antiterror chamados de "Grande Muralha 5", informou a agência chinesa de notícias Xinhua.

Bombeiros, policiais e outros órgãos retiraram 400 espectadores do local em oito minutos e limparam os "produtos químicos" em menos de uma hora, concluindo o exercício com sucesso, disse a reportagem.

Ao longo da semana, soldados, policiais armados e funcionários de equipes das áreas de saúde, transportes e meio ambiente devem enfrentar ainda o sequestro de um ônibus com atletas e vários outros cenários.

Tudo faz parte dos esforços da China para aprimorar seu aparato de segurança antes dos Jogos que ocorrem em agosto.

Os exercícios têm por objetivo melhorar a cooperação entre as forças de segurança e os órgãos de combate ao terrorismo, além de tornar mais eficiente o comando central nacional antiterror, afirmou a Xinhua.

O governo chinês elaborou um plano de segurança para os Jogos Olímpicos de olho na ameaça de atentados terroristas.

A China preocupa-se também com a possibilidade de que ativistas de outros países, responsáveis por atrapalhar o périplo internacional da tocha olímpica, realizem manifestações durante a Olimpíada por causa do Tibete, de Darfur, dos direitos humanos e de outras questões.

Cerca de 100 mil policiais e 600 mil voluntários realizarão patrulhas nos locais dos Jogos, em hotéis e nas ruas de Pequim durante o evento, que ocorre entre os dias 8 e 24 de agosto. E uma rede formada por cerca de 300 mil câmeras de vigilância foi instalada para cobrir toda a capital chinesa.

Além disso, a utilização de fogos de artifício na cidade foi proibida por três meses, os veículos da malha de transporte público serão submetidos a rígidos esquemas de checagem e, nos vôos domésticos, nenhum passageiro pode carregar consigo líquidos, fósforos ou isqueiros.

(Por Emma Graham-Harrison)