Bolívia agradece à Fifa por autorizar futebol nas alturas

quarta-feira, 28 de maio de 2008 18:24 BRT
 

LA PAZ (Reuters) - O presidente da Bolívia, Evo Morales, trocou as críticas à Fifa por elogios e agradeceu na quarta-feira ao presidente da entidade, Joseph Blatter, por autorizar a realização de partidas internacionais em cidades de grande altitude, como La Paz.

Morales, que há dois meses chamou Blatter de "mentiroso" por ter supostamente descumprido uma promessa de não proibir essas partidas, disse na quarta-feira que "começa a terminar o apartheid no futebol".

A decisão da Fifa foi tomada na terça-feira numa reunião na Austrália, e beneficia também Colômbia, Equador, México e Peru. Com ela, o estádio Hernando Siles, em La Paz, a 3.600 metros de altitude, volta a ser a "casa" da seleção boliviana.

"Quero agradecer ao presidente da Fifa e sua direção por terem entendido o pedido clamoroso, o sentimento do povo boliviano de respeitar a universalidade do futebol", disse Morales durante o chamado Dia Mundial do Desafio, que promove atividades esportivas nas ruas.

Morales demonstrou indignação quando, em março, a Fifa proibiu as partidas na altitude e determinou que a Bolívia disputasse as eliminatórias da Copa em cidades mais baixas.

Apaixonado por futebol, o presidente levou suas queixas a vários foros políticos e desportivos, inclusive a sede da Fifa, na Suíça. Argumentava que o futebol é um direito dos povos "em qualquer lugar do mundo."

Segundo Morales, seus colegas Luiz Inácio Lula da Silva e Hugo Chávez (Venezuela) apoiavam sua reivindicação. Espanha e África do Sul, sede da próxima Copa, também teriam lhe dado apoio.

Morales prometeu ajuda de seu governo nos estudos científicos encomendados pela Fifa a respeito da prática do futebol na altitude e em outras condições extremas, de umidade, frio ou calor.

A resolução de março foi suspensa à espera do resultado desses estudos.

Em 15 de junho, a Bolívia recebe o Chile pelas eliminatórias. Três dias depois, enfrenta o Paraguai.

(Reportagem de Carlos Alberto Quiroga)