ENTREVISTA-Grau de investimento ajuda Rio-2016, diz Nuzman

quinta-feira, 8 de maio de 2008 17:28 BRT
 

Por Brian Homewood

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A elevação do Brasil ao grau de investimento ajudará a candidatura do Rio de Janeiro para receber os Jogos de 2016, segundo o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman.

Na opinião do COB, o novo status do país, reconhecido na semana passada pela agência de classificação de risco Standard & Poor's, contribuirá para apagar a antiga visão estereotipada de que o Brasil é um país com inflação descontrolada, onde é preciso uma mala de dinheiro para comprar uma lâmpada.

"Eu acho que isso consolida uma candidatura forte, segura. Dá a segurança ao COI [Comitê Olímpico Internacional] de que o Brasil tem a capacidade financeira de assegurar a entrega dos Jogos Olímpicos", afirmou Nuzman em entrevista à Reuters.

O dirigente disse que o comitê organizador está se empenhando para mostrar que o Rio é mais do que sol, praia e carnaval. Ele prefere falar da força econômica do país, da experiência em organizar eventos esportivos e das instalações que já existem.

"São diversos fatores positivos, não há mais inflação, há estabilidade já há muitos anos na economia brasileira, a cotação do real em relação ao dólar, o nível de investimentos externos no Brasil é enorme. Existe na área imobiliária uma retração [no exterior], e no Brasil é o contrário", enumerou.

INSTALAÇÕES PRONTAS

Nuzman acredita que o fato de ter realizado os Jogos Pan-Americanos em 2007 será crucial para que desta vez o Rio consiga ser sede da Olimpíada -- o que já tentou sem sucesso em 2004 e 2012.

"Talvez a grande lição foi que nós não poderíamos organizar os Jogos Olímpicos sem organizar os Jogos Pan-Americanos. Organizamos muitos campeonatos mundiais e subimos os degraus com os Jogos Sul-Americanos e os Jogos Pan-Americanos", disse o dirigente. "A comprovação pública, prática, da capacidade de organizar megaeventos. Isso foi fundamental para as nossas aspirações."   Continuação...