Em protesto, atletas da Alemanha dizem: 'somos todos chineses'

sexta-feira, 1 de agosto de 2008 16:10 BRT
 

Por Erik Kirschbaum

BERLIM (Reuters) - Sob o lema "somos todos chineses", nove atletas olímpicos da Alemanha posaram para fotos usando seus uniformes oficiais e segurando fotografias de dissidentes chineses na frente de seus rostos.

As imagens foram publicadas nesta sexta-feira pela revista do jornal Sueddeutsche Zeitung, com uma manchete que lembra a famosa frase dita pelo presidente dos EUA John F. Kennedy ("Ich bin ein Berliner", eu sou berlinense) para celebrar a liberdade existente apenas na parte Ocidental de Berlim, após a construção do muro.

A nadadora Petra Dallmann apareceu segurando a foto de Hu Jia, que, segundo a revista, denunciou por várias vezes casos de abuso de direitos humanos ocorridos na China.

"Quando recebeu o direito de organizar a Olimpíada, a China prometeu adotar medidas para proteger os direitos humanos", disse Dallmann à publicação. "No entanto, ao invés disso, ativistas como Hu Jia foram condenados à prisão de forma precipitada a fim de intimidar outros."

Dallmann acrescentou: "Espero que essas questões não sejam esquecidas quando os Jogos Olímpicos tiverem chegado ao fim."

O jogador de pólo aquático Soeren Mackeben, que neste ano já tinha defendido que sua equipe usasse uniformes na cor laranja como um tributo silencioso ao Tibete, aparece na capa da revista, de sunga, ao lado da manchete: "A verdade nua e crua".

'INJUSTIÇA INCOMPREENSÍVEL'

Mackeben, que mais tarde desistiu da idéia do uniforme laranja, cobre seu rosto com a foto de Ye Guozhu. Segundo a revista, Ye foi condenado a quatro anos de prisão depois de protestar contra o fato de seu restaurante haver sido demolido para a Olimpíada.   Continuação...