1 de Agosto de 2008 / às 19:13 / 9 anos atrás

Em protesto, atletas da Alemanha dizem: 'somos todos chineses'

Por Erik Kirschbaum

BERLIM (Reuters) - Sob o lema “somos todos chineses”, nove atletas olímpicos da Alemanha posaram para fotos usando seus uniformes oficiais e segurando fotografias de dissidentes chineses na frente de seus rostos.

As imagens foram publicadas nesta sexta-feira pela revista do jornal Sueddeutsche Zeitung, com uma manchete que lembra a famosa frase dita pelo presidente dos EUA John F. Kennedy (“Ich bin ein Berliner”, eu sou berlinense) para celebrar a liberdade existente apenas na parte Ocidental de Berlim, após a construção do muro.

A nadadora Petra Dallmann apareceu segurando a foto de Hu Jia, que, segundo a revista, denunciou por várias vezes casos de abuso de direitos humanos ocorridos na China.

“Quando recebeu o direito de organizar a Olimpíada, a China prometeu adotar medidas para proteger os direitos humanos”, disse Dallmann à publicação. “No entanto, ao invés disso, ativistas como Hu Jia foram condenados à prisão de forma precipitada a fim de intimidar outros.”

Dallmann acrescentou: “Espero que essas questões não sejam esquecidas quando os Jogos Olímpicos tiverem chegado ao fim.”

O jogador de pólo aquático Soeren Mackeben, que neste ano já tinha defendido que sua equipe usasse uniformes na cor laranja como um tributo silencioso ao Tibete, aparece na capa da revista, de sunga, ao lado da manchete: “A verdade nua e crua”.

‘INJUSTIÇA INCOMPREENSÍVEL’

Mackeben, que mais tarde desistiu da idéia do uniforme laranja, cobre seu rosto com a foto de Ye Guozhu. Segundo a revista, Ye foi condenado a quatro anos de prisão depois de protestar contra o fato de seu restaurante haver sido demolido para a Olimpíada.

“Nós deveríamos nos mobilizar para garantir que todos sejam capazes de expressar suas opiniões sem sofrer consequências -- na China ou em qualquer outro lugar”, afirmou o jogador de pólo aquático.

“O caso de Ye Guozhu representa uma injustiça incompreensível e contraria totalmente o espírito olímpico.”

A revista semanal (sz-magazin.sueddeutsche.de) também mostrou a esgrimista Imke Duplitzer cobrindo o rosto com a foto de Gao Zhisheng, um advogado conhecido por defender dissidentes.

“Nós dois somos lutadores”, afirmou Duplitzer. “Eu estou lutando, como atleta, por uma medalha ao passo que ele, como advogado, luta por justiça. Qual vocês pensam que é mais importante?”

Sabine Spitz, uma praticante de mountain bike que participa de sua terceira Olimpíada, foi fotografada usando uma máscara com o rosto de Yang Tongyan, escritor condenado à prisão por defender uma maior democracia na China.

“Quando compareci aos Jogos em Sydney e em Atenas, eu estava realmente ansiosa para fazer aquilo”, afirmou. “Não posso dizer o mesmo desta vez. Não sei o que deveria pensar de um país que nega a seu próprio povo liberdade de expressão.”

Os outros atletas alemães que participaram da matéria são os praticantes de pentatlo moderno Eva Trautmann e Steffen Gebhardt, além das iatistas Ute Hoepfner, Julia Bleck e Ulrike Schuemann.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below