Dunga cobra empenho dos atletas para disputar Jogos de Pequim

quarta-feira, 14 de maio de 2008 20:42 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Diante da dificuldade para os clubes europeus liberarem seus astros e da proximidade dos Jogos Olímpicos, o técnico Dunga cobrou mais interesse dos jogadores acima de 23 anos em servir a seleção brasileira nas Olimpíadas de Pequim.

O treinador afirmou que se não houver empenho dos jogadores, os clubes não vão liberá-los, já que eles não são obrigados pela Fifa a ceder os atletas mais experientes para os Jogos Olímpicos de agosto.

"Desde o início a gente já sabia que os atletas acima de 23 anos representariam alguma dificuldade. O jogador tem que querer estar na seleção brasileira, tem que fazer uma força", disse Dunga a jornalistas em um evento do Instituto Bola Para Frente, no Centro do Rio.

"Não quero que brigue com o clube onde o jogador recebe e trabalha, mas pela qualidade e pelo que representa pode interferir e chegar a uma aproximação e ao bom senso. Cada um tem que fazer a sua parte para estar na seleção. Se o jogador lavar as mãos, fica difícil de contar com ele", acrescentou o treinador.

Clubes como Milan e Bayer de Munique já manifestaram publicamente que não pretendem liberar jogadores como Kaká e Lúcio para os Jogos de Pequim.

Dunga convoca nesta quinta-feira os jogadores para os amistosos contra Venezuela e Canadá, nos EUA. O jogo contra o Canadá será em 31 de maio, na cidade de Seatle, e a partida contra a Venezuela, no dia 6 de junho, em Boston.

Ao ser questionado se jogadores badalados como Adriano e Ronaldinho Gaúcho poderiam aparecer na lista, Dunga afirmou que jogadores que cometem erros precisam de muito trabalho para voltar à seleção brasileira.

Depois dos amistosos, o Brasil vai enfrentar Paraguai, em Assunção, e Argentina, em Belo Horizonte, pelas eliminatórias para a Copa de 2010.

"Serão jogos que vão valer a liderança das eliminatórias e serão muito importantes para nós", destacou o auxiliar Jorginho, que não espera um placar elástico no confronto contra a Argentina.

"Não se pode achar que vai ganhar da Argentina de 3 sempre", completou ele, ao lembrar que na "Era Dunga" o Brasil enfrentou a Argentina duas vezes e venceu por 3 x 0 em um amistoso na Europa e na final da Copa América, na Venezuela.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)