Fifa anuncia acordo com clubes para dissolver G14

terça-feira, 15 de janeiro de 2008 18:42 BRST
 

Por Mark Ledsom

BERNA (Reuters) - A Fifa anunciou na terça-feira um acordo que levaria à dissolução do polêmico G14 (grupo de clubes europeus) e ao fim de uma longa disputa judicial a respeito da compensação por jogadores cedidos a seleções.

A Fifa disse que a carta de intenção que assinou com a Uefa (entidade que dirige o futebol europeu) e com representantes de 12 grandes clubes leva à "dissolução do G14 com a retirada das suas reivindicações em tribunais".

Em troca, Fifa e Uefa se comprometem a fazer "contribuições financeiras para a participação dos jogadores em Eurocopas e Copas do Mundo, e a aprovação das suas respectivas entidades."

A Uefa disse que o Fórum Europeu de Clubes será substituído por uma nova "Associação Européia de Clubes", independente e com a participação de mais de cem clubes e das 53 federações nacionais que compõem a Uefa. As reformas devem ser discutidas na segunda-feira pelo Fórum Europeu de Clubes.

O G14, composto atualmente por 18 clubes, apóia o time belga Charleroi contra a Fifa num processo judicial relativo à indenização para clubes cujos jogadores se machucam à serviço de suas seleções.

Em novembro de 2004, o Charleroi perdeu o marroquino Abdelmajid Oulmers por oito meses num caso desse tipo, e teve de continuar pagando o salário dele. O Olympique de Lyon e o Atlético de Madri também se queixam de incidentes semelhantes.

"Como vocês podem ver pela nota da Fifa, a intenção é resolver as questões remanescentes sobre a compensação por jogadores machucados, o calendário internacional e uma maior participação democrática em como o jogo é dirigido", disse o gerente-geral do G14, Thomas Kurth.

"Mas qualquer acordo deve ter o apoio do Charleroi, do Lyon e do Atlético de Madri, já que esses casos são autônomos e só serão deixados de lado se todas as nossas questões forem resolvidas."

(Reportagem adicional de Darren Ennis em Bruxelas)