23 de Outubro de 2007 / às 04:11 / em 10 anos

Raikkonen é campeão mundial após pane de Hamilton

<p>O campe&atilde;o mundial de F&oacute;rmula 1 deste ano &eacute; Kimi Raikkonen, gra&ccedil;as a uma pane da McLaren, e a uma ajudinha de Felipe Massa, que abriu m&atilde;o da vit&oacute;ria no GP do Brasil para fazer do finland&ecirc;s o vencedor. Foto de Raikkonen cruzando a linha de chegada em Interlagos, 21 de outubro. Photo by Rickey Rogers</p>

Por Camila Moreira

SÃO PAULO (Reuters) - Nem Lewis Hamilton, nem Fernando Alonso. O campeão mundial de Fórmula 1 deste ano é Kimi Raikkonen, graças a uma pane da McLaren, a uma atuação perfeita da Ferrari e a uma ajudinha de Felipe Massa, que abriu mão da segunda vitória consecutiva no Grande Prêmio do Brasil para fazer do finlandês o vencedor.

Em uma corrida cheia de emoções no início e indefinida até o final, o quase impossível aconteceu. A sorte de Hamilton sumiu com uma pane em seu carro ainda na oitava volta e assim, supercotado para ser o primeiro estreante campeão do mundo, Hamilton desperdiçou pela segunda vez a sua chance, depois de errar no Grande Prêmio da China, no início do mês.

Seu companheiro de equipe, Fernando Alonso, terminou na terceira colocação, insuficiente para o espanhol garantir o terceiro título seguido, já que Massa liderava e inverteu de posição com Raikkonen para garantir que o finlandês chegasse a 110 pontos no campeonato. Hamilton fez uma corrida de recuperação e chegou em sétimo. Ele e Alonso terminaram com 109 pontos, porém o britânico fica com o vice-campeonato por ter terminado mais vezes na segunda colocação.

“Não estávamos na melhor das posições, mas sempre acreditamos que poderíamos nos recuperar”, disse Raikkonen, terceiro finlandês a tornar-se campeão mundial depois de Keke Rosberg (1982) e Mika Hakkinen (1998 e 1999).

“Mesmo nos momentos ruins, todos estavam unidos, e não desistimos...Acho que tivemos um trabalho de equipe perfeito.”

Assim, a McLaren ficou sem nenhum título neste ano, já que foi punida com a perda de todos os seus pontos no Mundial de Construtores depois que um dossiê de informações técnicas da Ferrari foi encontrado na casa de seu engenheiro, Mike Coughlan. E a equipe italiana levou os dois.

“Eu não esperava isso, mesmo que a esperança nunca tenha morrido. Lutamos até a última curva”, disse o presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo.

Interlagos esperava comemorar pelo segundo ano seguido uma vitória de um brasileiro, mas sem nenhuma chance no campeonato era claro que Massa abriria mão de terminar em primeiro se as condições favorecessem seu colega de equipe.

Ainda assim, a torcida assistiu a uma disputa bastante acirrada no campeonato já que pela primeira vez desde 1986 a última corrida do ano viu uma batalha entre três pilotos.

CAIXA DE CÂMBIO

Sob um forte calor -- a prova começou com uma temperatura de 37 graus Celsius e a 64 graus na pista -- a primeira volta foi bastante agitada. Massa fechou uma tentativa de ultrapassagem de Raikkonen, mas Alonso conseguiu pressionar Hamilton e assumiu a terceira colocação. Quando tentou recuperar a posição, o britânico acabou saindo da pista e fechou a primeira volta na 8a posição.

Pouco depois seu carro sofreu uma pane e perdeu velocidade. Depois de se arrastar por alguns metros, o carro embalou de novo e Hamilton continuou correndo, sem entrar nos boxes, e caiu para 18o lugar. Ele foi recuperando posições aos poucos, mas não o suficiente para garantir os pontos necessários, e via as Ferraris disparar na frente com Massa em primeiro e Raikkonen em segundo.

“Ninguém está chateado, estamos ótimos. Acabamos de ter uma das mais fantásticas temporadas da F1”, disse o pai de Hamilton, Anthony, à TV britânica ITV.

“Perdemos por um ponto, mas voltaremos no ano que vem, e se não vencermos no ano que vem, venceremos no outro. Mas uma coisa é certa: Lewis Hamilton está aqui para ficar.”

O chefe da McLaren, Ron Dennis, explicou que houve um problema na caixa de câmbio, e lamentou ter ficado tão perto do título.

“Foi muito apertado, só precisávamos que um carro parasse”, disse Dennis a repórteres. “No final, a Ferrari sofreu seus problemas de confiabilidade no início da temporada, e nós tivemos hoje. Não se trata de uma corrida, trata-se do campeonato mundial e temos que ser positivos e esportivos, e aguardar o próximo ano.”

Já no final, com Alonso em terceiro lugar na prova, o que garantia ao espanhol o título se Raikkonen terminasse em segundo, a Ferrari foi sutil ao inverter as posições de seus pilotos para ficar com o troféu.

Faltando 21 voltas, Massa fez o seu segundo pit stop e voltou atrás de Raikkonen. O finlandês aproveitou para disparar, abrir uma boa vantagem e quando voltou de sua parada ainda manteve a liderança.

Por alguns instantes o finlandês deixou de lado o apelido de “Iceman” e comemorou ainda no carro, levantando os braços. No pódio, ele voltou a se conter. Alguns sorrisos, entretanto, não puderam ser contidos na entrevista após a corrida e principalmente na comemoração com o resto da equipe.

Com reportagem adicional de Alan Baldwin

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below