Diante dos russos, Fábregas transforma desastre em triunfo

sexta-feira, 27 de junho de 2008 11:02 BRT
 

Por Simon Baskett

VIENA (Reuters) - Ficar sem seu principal goleador em uma semifinal muito equilibrada seria algo capaz de derrubar o moral de qualquer equipe, mas, para a Espanha, a infelicidade se transformou em virtude e o país conseguiu derrotar a Rússia por 3 x 0 em uma noite chuvosa de Viena.

David Villa, o artilheiro da Eurocopa 2008 até o momento e que havia anotado três gols contra os russos na partida da fase de grupos, precisou ser substituído faltando cerca de dez minutos para o intervalo de jogo devido ao estiramento de um músculo.

Dentro do estádio Ernst Happel, tomado por torcedores fanáticos então incrédulos, a saída do atacante obrigou o técnico Luis Aragonés a colocar em campo Cesc Fábregas antes do previsto.

E coube a Fábregas desequilibrar a partida em favor da Espanha, assegurando a classificação da equipe, que chega a sua primeira final de um torneio em 24 anos e dá mais um passo para enterrar a fama de sempre morrer na praia.

Como já havia feito anteriormente nesta Eurocopa, o jogador do Arsenal deu garra e movimentação ao meio-campo espanhol.

Seu apetite natural por avançar até a área adversária obrigou a defesa russa a ficar recuada e ajudou a criar espaços, dando liberdade de ação para seus companheiros no meio-de-campo.

Xavi trocou passes limpos com um endiabrado Andrés Iniesta e conseguiu engendrar um ataque bem armado responsável por garantir o primeiro gol da Espanha, aos cinco minutos do segundo tempo. Depois, Fábregas deu um passe primoroso para o atacante Dani Guiza marcar o segundo tento dos espanhóis de forma sublime. E completou sua atuação com uma assistência para David Silva, que fez o terceiro gol da Fúria a três minutos do final de jogo.