7 de Abril de 2008 / às 12:24 / 9 anos atrás

China condena ataques à tocha olímpica; COI está preocupado

<p>Policial repreende manifestante que tentava agarrar a tocha Ol&iacute;mpica em Londres, no dia 6 de abril. Photo by Pool</p>

Por Chris Buckley

PEQUIM (Reuters) - A China condenou nesta segunda-feira as manifestações ocorridas durante a passagem da tocha olímpica por Londres, no fim de semana, e o presidente do COI, Jacques Rogge, demonstrou preocupação com os distúrbios, mas afirmou não haver clima para um boicote aos Jogos.

Manifestantes contrários à repressão chinesa no Tibet e favoráveis à independência da região montanhosa transformaram a passagem da tocha por Londres, no domingo, numa corrida com obstáculos e protestos -- não exatamente o que a China desejava para sua "jornada da harmonia."

Os protestos se repetiram durante o início do revezamento da tocha pelas ruas de Paris, nesta segunda-feira, e a polícia foi obrigada a guardar a chama dentro de um ônibus para protege-la dos manifestantes.

Um policial afirmou que a tocha foi colocada no ônibus pouco após deixar a Torre Eiffel.

Em Londres, no domingo, pelo menos 35 pessoas foram detidas, e em determinado momento a polícia também resolveu guardar a tocha num ônibus para escapar de cerca de cem manifestantes.

A TV estatal chinesa preferiu destacar a multidão de curiosos que tomou as ruas para ver a tocha e as celebridades esportivas britânicas que carregaram a chama. Uma outra reportagem, mais tarde, mostrou os protestos, com críticas de cidadãos e atletas britânicos à manifestação.

"Um pequeno número de elementos pela independência do Tibet tentou perturbar a passagem da sagrada chama dos Jogos Olímpicos por Londres. Condenamos fortemente este vil comportamento", disse um funcionário não-identificado da organização dos Jogos responsável pelo trajeto da tocha.

A China reprimiu com violência no mês passado protestos no Tibet e províncias vizinhas, onde desde então há forte presença militar. Os incidentes provocaram indignação mundial.

O China News Service informou que o primeiro grupo de suspeitos de promover distúrbios em Lhasa, a capital do Tibet, irá em breve a julgamento.

Jacques Rogge, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), se disse muito preocupado com "a situação internacional e o que aconteceu no Tibet."

"O revezamento da tocha foi um alvo. O COI manifestou sérias preocupações e apela por uma rápida e pacífica resolução no Tibet", disse ele em discurso à Associação de Comitês Olímpicos Nacionais, em Pequim.

"A violência por qualquer razão não é compatível com os valores do revezamento da tocha e os Jogos Olímpicos. Algumas pessoas jogaram com a idéia de boicotes. Conforme falo hoje, não há impulso para um boicote geral."

Craig Reedie, membro britânico do COI, disse que houve apenas alguns incidentes de "volatilidade isolada" entre milhares de pessoas que se divertiam com a festa.

"Acho que as pessoas entendem que numa democracia as pessoas têm o direito de protestar se for isso que quiserem fazer. Há muitas outras manifestações sérias em Londres a respeito de outras questões."

Reportagem adicional de Nick Mulvenney e Alan Wheatley

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below