China cria atletas de ponta, mas sob duros sacrifícios

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008 12:08 BRST
 

Por Liu Zhen

PEQUIM (Reuters) - O sistema público de incentivo ao esporte adotado pela China é alvo de algumas críticas, mas os que se beneficiaram dele parecem convencidos de que esse continua a ser o segredo do sucesso esportivo do país.

Atualmente, há 23 mil atletas patrocinados pelo Estado chinês dentro da estrutural piramidal que forma o sistema de incentivo ao esporte. E todas as medalhas de ouro a serem obtidas pelo país nas Olimpíadas de Pequim, em agosto, serão um produto desse sistema.

Na base da pirâmide encontram-se escolas como a de Shichahai, na região central de Pequim, onde as crianças de 6 anos para cima começam a treinar e a sonhar em tornarem-se os campeões mundiais do futuro.

"Quero defender a China nas Olimpíadas", afirmou à Reuters Yu Jingjing, 12, que mora em Pequim. "Quero ser como Zhang Yining."

Com exceção da estrela das artes marciais Jet Li, o mesa-tenista Zhang Yining é provavelmente o nome mais conhecido a se formar em uma escola responsável por treinar seis campeões olímpicos e que representa um produto típico do sistema de incentivo ao esporte.

"Nunca comprei uma única raquete ou um par de tênis desde que comecei a praticar tênis de mesa, aos 5 anos de idade", afirmou recentemente Zhang, que conquistou duas medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Atenas.

"Tudo foi fornecido pelo Estado e eu nunca me preocupei com nada mais que não fosse o tênis de mesa."

Shichahai, uma das 200 escolas modelo em termos esportivos, treina mais de 600 estudantes em oito categorias e, ao mesmo tempo, fornece educação básica para todos eles. A escola foi criada 49 anos atrás.   Continuação...

 
<p>Jovem atleta se exercita nas argolas em frente a uma bandeira da China na escola esportiva de Shichahai, em Pequim. Photo by David Gray</p>