Federação espanhola condena torcedores racistas na F1

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008 15:50 BRST
 

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - A Real Federação Espanhola de Automobilismo divulgou nota nesta segunda-feira em que manifesta "seu mais absoluto repúdio" aos torcedores que durante o fim de semana fizeram manifestações racistas contra o piloto britânico Lewis Hamilton no Circuit de Catalunya, em Barcelona.

A nota da entidade foi uma resposta à Federação Internacional de Automobilismo (FIA), que exigira um relatório completo sobre o incidente. Uma fonte próxima à entidade que dirige a Fórmula 1 disse que a Espanha chegou a ser ameaçada de perder os seus dois GPs da temporada.

Hamilton, primeiro piloto negro da categoria, vice-campeão logo na sua estréia, em 2007, foi insultado durante testes realizados no circuito catalão com sua McLaren.

O inglês de 23 anos se tornou uma personalidade odiada na Espanha devido à sua rivalidade com o piloto espanhol Fernando Alonso, que foi companheiro de equipe de Hamilton no ano passado e agora está na Renault, onde havia se sagrado bicampeão.

"A Federação quer demonstrar o seu mais absoluto repúdio a estes incidentes incompreensíveis e demonstrar seu apoio e solidariedade à escuderia McLaren e muito especialmente ao piloto Lewis Hamilton", disse a entidade local em um comunicado.

"Este tipo de energúmenos, que confundem rivalidade esportiva com violência, precisam saber que a Federação terá tolerância zero com eles."

Em outra nota, a administração do Circuit de Catalunya disse que não permitirá que "nem o menor dos incidentes se repita dentro de suas instalações". Novas medidas devem ser implantadas para os testes no local no final de fevereiro e para o GP da Espanha, em abril. O circuito também ameaçou processar os autores dos insultos caso o automobilismo espanhol sofra sanções.

O próximo teste de Hamilton será nos dias 12 a 14 no circuito de Jerez, no sul da Espanha.   Continuação...