COI monitora poluição, mas dá novo aval a Olimpíada de Pequim

quinta-feira, 25 de outubro de 2007 10:14 BRST
 

Por Nick Mulvenney

PEQUIM (Reuters) - O inspetor olímpico Hein Verbruggen não acredita em "riscos ou perigos" nos preparativos de Pequim para a Olimpíada de 2008, embora o problema da poluição atmosférica continue sendo monitorado de perto.

Falando ao final da penúltima visita de três dias do grupo de inspetores do Comitê Olímpico Internacional (COI), na quinta-feira, Verbruggen disse que os Jogos têm tudo para atender aos maiores padrões de exigência, mesmo que ainda haja muito trabalho a ser feito nos próximos 288 dias.

"Não há nada, e repito, nada, que represente qualquer risco ou perigo para a organização dos Jogos do ano que vem", disse o holandês, presidente da comissão de coordenação do COI.

"Esperamos muitas luzes verdes no que diz respeito aos preparativos desses Jogos para o ano que vem, nossos amigos aqui (em Pequim) estão fazendo um trabalho perfeito para fazer desses Jogos grandes Jogos."

Um relatório divulgado também na quinta-feira pelo Programa Ambiental da ONU diz que Pequim tem tudo para realizar uma "Olimpíada Verde", mas que a poluição atmosférica continua sendo um problema.

Segundo Verbruggen, o COI e o Comitê Organizador local monitoram a situação "dia a dia."

"Trata-se de uma questão de saúde, seria quase insultante que não levássemos a sério, mas continuamos confiantes de que isso será suficientemente tratado."

Jiang Xiaoyu, vice-presidente executivo do comitê local, disse que Pequim manterá seu bilionário projeto de redução da poluição, mas que haverá também algumas medidas de contingência para a época olímpica.   Continuação...

 
<p>Funcion&aacute;rios pr&oacute;ximos do Est&aacute;dio Ninho de P&aacute;ssaro, em um dia de forte polui&ccedil;&atilde;o em Pequim. O inspetor ol&iacute;mpico Hein Verbruggen n&atilde;o acredita em 'riscos ou perigos' nos preparativos de Pequim para a Olimp&iacute;ada de 2008, embora o problema da polui&ccedil;&atilde;o atmosf&eacute;rica continue sendo monitorado de perto. Photo by David Gray</p>