15 de Maio de 2008 / às 18:56 / 9 anos atrás

Nelsinho está confiante em marcar pontos na F1

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - Após suas cinco primeiras corridas na Fórmula 1 sem conquistar nem um ponto sequer ou mesmo chegar entre os dez primeiros colocados, o estreante brasileiro Nelsinho Piquet esforça-se ao máximo para soar confiante a respeito de seu futuro na categoria.

"Alguns pilotos levam mais tempo para aprender, outros pegam as coisas já no começo", afirmou Nelsinho, de 22 anos, que cruzou a linha de chegada em 15o lugar com seu Renault no Grande Prêmio da Turquia, no fim de semana passado.

"Acho que isso depende da situação e do quão confortável o piloto se sente com o carro e a equipe."

"Se tudo der certo, vou melhorar a cada corrida e vou me sentir mais confortável com tudo. E assim chegaremos lá. A equipe tem me dado muito apoio. Eles vêm tentando de tudo para me ajudar o quanto preciso, de forma que não tenho nada do que reclamar", acrescentou.

"Claro que desejo marcar pontos, mas isso vai acontecer, cedo ou tarde."

As comparações perseguem Nelsinho desde o dia em que ingressou em um paddock da Fórmula 1 como companheiro de equipe do bicampeão mundial Fernando Alonso.

A comparação mais óbvia é com o pai e homônimo do piloto, Nelson Piquet, tricampeão mundial que se aposentou em 1991 após vencer 23 Grandes Prêmios.

Depois há Lewis Hamilton, o britânico que venceu Nelsinho na disputa pelo título da GP2 em 2006 e que tinha também 22 anos de idade quando realizou sua sensacional estréia na categoria, pela McLaren, no ano passado, ao lado do espanhol Alonso.

Heikki Kovalainen, que enfrentou um ano de estréia difícil na Renault em 2007 antes de trocar de lugar com Alonso na McLaren e mostrar suas verdadeiras habilidades, representa outro ponto de comparação para Nelsinho.

NOVE PÓDIOS

Hamilton estreou na F1 com novo pódios sucessivos, vencendo sua sexta e sétima corridas. E ferindo assim o orgulho de Alonso, de quem terminou à frente no Mundial do ano passado.

Nelsinho, apesar de estar em uma circunstância bastante diferente, recebeu a bandeirada final apenas duas vezes até agora.

O carro da Renault não se compara com a McLaren de 2007 ou 2008, mas Alonso mostrou o peso que a experiência de um piloto tem quando conquistou o quarto lugar na Austrália em março, largou na primeira fila na Espanha e terminou em sexto lugar na Turquia, no último fim de semana.

Enquanto o espanhol ocupa a nona posição na disputa pelo título, Nelsinho é apenas o 18o. E dois dos quatro pilotos que estão abaixo dele na classificação geral nem mesmo participam mais do campeonato porque a equipe deles, a Super Aguri, fechou as portas.

A Fórmula 1 é um tipo de categoria esportiva na qual qualquer piloto com dificuldades para obter resultados torna-se alvo de uma fábrica de boatos. Mas o chefe da equipe Renault, Flavio Briatore, continua a dar apoio a Nelsinho.

"Nelsinho tem talento, sem sombra de dúvida", afirmou Briatore à Reuters antes da corrida na Turquia. "Nelsinho é parte da equipe e nós precisamos dar apoio a ele. Eu não tenho dúvidas a respeito do Nelsinho."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below