China diz que Olimpíada será poluída se indústrias não agirem

sexta-feira, 16 de maio de 2008 10:59 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A China alertou na sexta-feira que a promessa de realizar uma Olimpíada sem poluição será descumprida se as indústrias de Pequim e arredores não tomarem providências.

A poluição em Pequim é uma das principais preocupações dos atletas. Por causa dela, o bicampeão olímpico Hailé Gebrselassié, que é asmático, desistiu de disputar a maratona.

Pequim decidiu fechar todas as principais fontes de poluição industrial no município e pediu a cinco províncias vizinhas que reduzam ou parem a produção para que em agosto a Olimpíada transcorra sob céu azul.

Mas em abril um dirigente do setor disse que as siderúrgicas esperam subsídios diretos para reduzir sua produção, o que indica uma relutância dos níveis locais em aceitar prejuízos em prol dos interesses nacionais.

Num raro momento de rompimento com o habitual otimismo dos organizadores, o ministro da Proteção Ambiental, Zhou Shengxian, alertou que a China estará à mercê da natureza para garantir o ar puro nos Jogos.

"No atual nível de progresso e intensidade, podemos cumprir os padrões nacionais e a promessa olímpica do nosso governo [apenas] sob condições climáticas normais", disse Zhou em discurso a dirigentes do governo e do setor industrial, transcrito na sexta-feira pelo jornal oficial do ministério.

"Mas devemos ter claro que a tarefa em questão continua sendo desafiadora, e que a situação ambiental ainda é bastante sombria", afirmou Zhou, que qualificou como "muito desequilibrada" a promessa de adoção de tecnologias limpas em todas as regiões.

"Em todas as localidades, ainda há problemas óbvios a respeito da implantação lenta e inconsistente desses projetos. Devemos prestar muita atenção a eles e não baixar a guarda", acrescentou.

Pequim ainda não informou quais fábricas terão de reduzir a produção, mas sinaliza que tomará medidas duras contra o setor industrial caso a poluição persista.   Continuação...