June 22, 2008 / 6:37 PM / 9 years ago

Raikkonen pode trocar de motor para o GP da Inglaterra

4 Min, DE LEITURA

Por Alan Baldwin

MAGNY-COURS (Reuters) - Mesmo com um escapamento quebrado e com sua Ferrari a ponto de entregar os pontos no final da prova, Kimi Raikkonen se aferrou às esperanças de defender seu título na F1 neste domingo.

O finlandês, que largou na pole position adiante do companheiro de equipe Felipe Massa, liderou o GP da França até que o problema, ocorrido no meio da prova, forçou o campeão a diminuir e conceder a vitória ao brasileiro.

O segundo lugar foi um pobre consolo diante de mais uma vitória tirada de suas mãos, mas foi bem-vindo mesmo assim depois de duas corridas sem pontuar.

Raikkonen subiu para a terceira colocação na tabela, cinco pontos atrás do líder.

"É decepcionante não vencer, mas oito pontos ajudam no campeonato", disse ele.

"O escapamento quebrou e isso muda todos os parâmetros, além de abrir um enorme buraco na lateral do carro", acrescentou. "Nas últimas voltas o carro quase parou algumas vezes, então acho que com mais alguma voltas não teríamos terminado a corrida".

"Por sorte o carro foi forte o suficiente e agüentou, então mesmo com o escapamento quebrado ainda fomos rápidos o bastante e tínhamos vantagem suficiente diante do terceiro colocado para manter a segunda colocação".

Os oito pontos foram os primeiros de Raikkonen desde seu terceiro lugar na Turquia no mês passado e lhe permitiram ultrapassar Lewis Hamilton, da McLaren, na pontuação geral.

A próxima corrida é o GP da Inglaterra, o grotão de Hamilton, mas Raikkonen provavelmente terá um novo motor para essa prova, ao contrário de seu rival de 23 anos da McLaren, que terminou em décimo neste domingo depois de somar uma punição de passagem pelos boxes à penalidade da perda de dez posições no grid de largada.

Um troca de motor não programada normalmente implicaria em uma penalidade de dez posições no grid de largada, já que as unidades devem durar duas provas consecutivas, mas uma mudança no regulamento para 2008 permite às equipes uma troca por piloto livre de punições.

A troca, entretanto, precisa ser a primeira do piloto na temporada e deve ser o resultado de uma falha autêntica, e não feita por razões táticas.

"Depois de uma corrida tão dura da metade em diante, é muito provável que tenhamos que trocá-lo. Por isso precisamos do curinga", disse o chefe de equipe da Ferrari, Stefano Domenicali.

"Vamos fazer a análise amanhã, não há pressa para fazer nada além de trocar o motor quando formos para Silverstone", acrescentou.

Domenicali disse que não ficou claro de imediato o que causou o problema. "Tivemos quase metade da corrida com as partes quebradas, por isso vai ser difícil ter as peças à mão, elas estão espalhadas pelo circuito". disse.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below