Mesmo com 'céu azul', o ar de Pequim é seguro?

quinta-feira, 31 de julho de 2008 11:48 BRT
 

Por Emma Graham-Harrison

PEQUIM (Reuters) - Pequim prometeu que os Jogos Olímpicos transcorrerão sob um céu azul, e não sob a névoa embaçada que recobriu a cidade nos últimos tempos -- no entanto, mesmo em dias aparentemente claros, os níveis de poluição não seriam seguros para os atletas.

Autoridades chinesas gastaram 120 bilhões de yuans (17,6 bilhões de dólares) para limpar a capital, fechando fábricas localizadas a dezenas de quilômetros dali, paralisando obras da construção civil e retirando das ruas da cidade mais da metade de seus 3,3 milhões de carros.

Ainda assim, quando os moradores de Pequim dizem que o ar está limpo, os atletas e seus técnicos podem ter motivos para preocupação.

A maior parte dos padrões de poluição atmosférica da China encontra-se fora das diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS). Além disso, especialistas afirmam que o índice de poluição usado pelo país para dizer a seus cidadãos se é ou não seguro respirar aquele ar -- um "dia de céu azul" -- apresenta inúmeras falhas.

Ele utiliza apenas médias de medição para toda a capital, de forma que alguns pontos poderiam ser perigosos mesmo quando as leituras dizem que não há problema em sair à rua. E alguns poluentes preocupantes não estão incluídos no índice, afirmam os especialistas.

A névoa cinzenta que pairava sobre Pequim na segunda-feira chama atenção para os problemas ainda enfrentados pela cidade. Segundo os monitores de poluição atmosférica da capital, a qualidade do ar naquele dia foi de Grau 2, o que faria dele, oficialmente, um dia de "céu azul" -- apesar de, a olho nu, pouca coisa parecer diferente dos quatro dias anteriores, quando a qualidade do ar não atingiu os padrões nacionais.

Muitos atletas preferiram adiar ao máximo seu desembarque em Pequim para evitar o ar ruim, e o Comitê Olímpico Internacional (COI) disse que pode remarcar algumas provas de resistência, tais como a maratona, a fim de evitar danos à saúde dos atletas no caso de haver muita poluição.

O atual recordista mundial da maratona, Haile Gebrselassie, já anunciou que não disputará a prova a fim não colocar sua saúde em risco.   Continuação...

 
<p>Pessoas caminham em frente ao Est&aacute;dio Ol&iacute;mpico Nacional de Pequim. A China prometeu que os Jogos Ol&iacute;mpicos transcorrer&atilde;o sob um c&eacute;u azul, e n&atilde;o sob a n&eacute;voa emba&ccedil;ada que recobriu a cidade nos &uacute;ltimos tempos. Mas os n&iacute;veis de polui&ccedil;&atilde;o n&atilde;o seriam seguros para os atletas. Photo by Jason Lee</p>