Mais tempo para testar arenas teria sido melhor, reconhece COL a um mês do Mundial

segunda-feira, 12 de maio de 2014 20:28 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO, 12 Mai (Reuters) - Ainda sem ter realizado eventos-teste em dois dos 12 estádios da Copa do Mundo, incluindo a Arena Corinthians que vai receber o jogo de abertura, o Comitê Organizador Local (COL) da competição reconheceu nesta segunda-feira, a um mês do Mundial, que teria sido melhor ter mais tempo para testar os estádios.

O cronograma inicial dos organizadores previa que todos os estádios da Copa estariam prontos em dezembro de 2013, para que fossem testados em todas as áreas a tempo para o Mundial. No entanto, as seis arenas que não foram utilizadas na Copa das Confederações de 2013 não cumpriram o prazo e três delas --em São Paulo, Curitiba e Cuiabá-- ainda estão incompletas.

A Arena Corinthians, sede do jogo de abertura da Copa entre Brasil e Croácia, receberá seu primeiro evento-teste oficial somente no fim de semana, três dias antes de ser entregue para o controle da Fifa.

O outro estádio ainda não testado pelo COL é a Arena da Baixada, em Curitiba, que vai receber seu primeiro evento-teste oficial na quarta-feira, um amistoso entre Atlético Paranaense e Corinthians.

"Nós sempre dissemos que o ideal era entregar os estádios em dezembro para poder fazer testes logo no início de abril, e nós estamos fazendo alguns deles em maio, mas isso não quer dizer que nós não vamos estar preparados. Vamos estar muito bem preparados, claro que quanto mais você testar uma arena, isso é melhor", disse à Reuters por telefone o diretor-geral do COL, Ricardo Trade.

Segundo Trade, os testes nas arenas são justamente a prioridade do comitê organizador nas semanas que faltam até o início da Copa do Mundo. Inicialmente estava previsto que cada estádio passasse por três eventos-teste do COL antes do Mundial, mas devido aos atrasos algumas arenas só passarão por um teste completo.

No caso da Arena Corinthians, que teve as obras atrasadas ainda mais devido a um acidente com um guindaste em novembro do ano passado em que morreram dois operários, não está previsto por enquanto nenhum teste com capacidade total. No jogo do fim de semana, o público máximo será de 50 mil pessoas, 18 mil abaixo da capacidade que o estádio terá no Mundial.

Os atrasos nas obras de estádios também se repetiram nos projetos de infraestrutura voltados para o Mundial, como nas reformas de aeroportos e na construção de novas linhas de transporte nas cidades-sede.   Continuação...