Nenhum operário morreu em projetos da Copa de 2022, diz Catar

terça-feira, 13 de maio de 2014 19:48 BRT
 

SWEIMEH, Jordânia, 13 Mai (Reuters) - Nenhum operário de construção civil morreu ao trabalhar no canteiro de obras para a Copa do Mundo de 2022, disse o diretor de comunicação e marketing do comitê organizador do Catar, Nasser Al Khater, nesta terça-feira.

Relatos sobre mortes de operários imigrantes no Estado do Golfo chegaram às manchetes no ano passado ao serem noticiados pelo jornal britânico The Guardian, mas Al Khater, em um comunicado de atualização sobre o progresso da preparação para o Mundial daqui a oito anos, buscou relativizar os números.

A delegados do Fórum Sopccerex Asiático, realizado na costa do Mar Morto, Al Khater abordou a questão dos direitos trabalhistas sob o rígido kafala, como é chamado o sistema de trabalho adotado no país.  

"Ao contrário do que a mídia internacional diz, não houve um único ferimento ou morte decorrentes dos projetos para a Copa do Mundo”, disse ele.

“Não é possível ter 400 mortes quando você ainda está cavando um buraco no solo, então eu gostaria de ter certeza de que essa questão esteja entendida."

“No entanto, temos levado a questão do bem-estar dos trabalhadores muito a sério e nos certificamos de que os melhores padrões em termos de bem-estar no trabalho sejam garantidos nos contratos", completou.

Centenas de operários morreram no Catar em projetos não relacionados ao Mundial, mas medidas estão sendo preparadas para implementar modificações de segurança no trabalho por toda a indústria da construção civil.

(Por Mike Collett)