COI cria fundo para atletas olímpicos prejudicados pela crise na Ucrânia

quarta-feira, 14 de maio de 2014 12:57 BRT
 

BERLIM (Reuters) - O Comitê Olímpico Internacional (COI) criou um fundo de 300 mil dólares para ajudar os atletas ucranianos prejudicados pela crise e pediu aos líderes políticos que realizem uma cúpula de paz.

O presidente do COI, Thomas Bach, disse que as condições para os atletas se deterioraram dramaticamente desde que a crise com a vizinha Rússia se intensificou. O fundo de emergência pagaria o treinamento e competições, e o dinheiro será repassado ao Comitê Olímpico Nacional.

O ex-campeão de polo olímpico Sergey Bubka é o presidente do Comitê Olímpico da Ucrânia.

"O COI está acompanhando os desdobramentos políticos, econômicos e sociais na Ucrânia com a maior atenção e preocupação crescente", disse Bach em um comunicado.

"Além disso, a situação dos atletas ucranianos, incluindo aqueles que representaram tão bem o seu país nos últimos Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi, deteriorou-se dramaticamente."

"Por todas estas razões, eu repito o meu apelo de Sochi a todos os líderes políticos envolvidos para que promovam o diálogo em uma cúpula com o espírito olímpico de respeito mútuo e paz".

A Rússia sediou os Jogos Olímpicos de Inverno, em fevereiro, e Bach desfrutou de uma estreita relação de trabalho com o presidente russo, Vladimir Putin.

A cidade de Lviv, da Ucrânia, está na disputa para sediar os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, embora seja improvável que sua candidatura avance, devido à crise.

(Reportagem de Karolos Grohmann)