15 de Maio de 2014 / às 21:09 / 3 anos atrás

Organização brasileira da Copa causa "decepções" e "vergonha", diz presidente do TCU

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Copa do Mundo trará decepções aos brasileiros e algumas cidades-sede que não estão preparadas passarão vergonha, afirmou nesta quinta-feira o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, ao comentar problemas e atrasos em obras para o Mundial.

Nardes disse que visitou algumas das 12 cidades-sede da Copa, que começa no dia 12 de junho, e ficou impressionado negativamente com o que viu.

“Teremos decepções na Copa. Cuiabá parece uma praça de guerra”, afirmou em discurso durante o lançamento do portal de transparência dos Jogos de 2016, no Rio de Janeiro, citando como exemplo a capital de Mato Grosso.

A Arena Pantanal, em Cuiabá, é um dos três estádios ainda inacabados a menos de um mês do Mundial. Na semana passada, um operário morreu ao sofrer uma descarga elétrica no local, tornando-se a oitava vítima fatal entre funcionários que trabalhavam em obras de estádios da Copa.

Os outros dois estádios que ainda passam por obras são a Arena da Baixada, em Curitiba, e a Arena Corinthians, sede da abertura do torneio.

Apenas dois dos 12 estádios do Mundial --em Belo Horizonte e Fortaleza-- foram entregues no prazo determinado pela Fifa. Esses dois estádios foram utilizados na Copa das Confederações do ano passado, juntamente com as arenas de Salvador, Brasília, Rio de Janeiro e Recife.

AEROPORTOS

Além dos estádios, outros pontos dos preparativos do Brasil para o Mundial sofreram problemas, como obras de mobilidade urbana e aeroportos. Em muitas destas obras houve atrasos e algumas foram abandonadas.

O presidente do TCU lembrou que obras nos aeroportos das cidades-sede não ficarão prontas a tempo do início da Copa do Mundo. “Os aeroportos não estão prontos”, destacou.

Nesta semana, o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco, cogitou a possibilidade de multar a Infraero, estatal que administra aeroportos, pelos atrasos nas obras, mas garantiu que os terminais estão preparados para receber turistas para o Mundial.

Nardes afirmou ainda que o Brasil precisa aprender a ter planejamento e deixar de lado a cultura do improviso e do "jeitinho" na preparação para os Jogos Olímpicos de 2016.

“Precisamos avançar como nação, precisamos avançar, apesar dos erros que teremos. Temos que mudar a cultura de improvisação e do jeitinho, aprender a planejar o país“, disse.

"Claro que temos ainda algumas situações de constrangimento e atrasos... estamos vigilantes para que não passemos uma vergonha como infelizmente vamos passar na Copa do Mundo em algumas cidades que não estão preparadas para receber os cidadãos."

Reportagem de Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below