Cosmopolita Klinsmann é o técnico ideal para os EUA

sexta-feira, 16 de maio de 2014 11:27 BRT
 

Por Julian Linden

NOVA YORK (Reuters) - Para um homem que passou metade da vida morando e jogando em países estrangeiros, Juergen Klinsmann parece se adequar perfeitamente ao cargo de técnico dos Estados Unidos.

Personificação do mantra de que se deve praticar o que se prega, a experiência de Klinsmann ao redor do mundo fez dele o homem ideal para comandar uma seleção norte-americana cujos jogadores foram convocados a partir de todos os cantos do planeta.

Atacante implacável com 47 gols marcados em 108 partidas jogadas com a camisa da Alemanha, as credenciais de Klinsmann estão acima de qualquer contestação. 

Ele fez parte da equipe da Alemanha Ocidental que venceu a Copa do Mundo de 1990 e a Eurocopa de 1996, aí já como nação unificada, e se beneficiou de seus incríveis talentos para rodar o mundo em equipes da Inglaterra, Itália e França, além de sua terra natal. 

A passagem do alemão pela Inglaterra causou grande impacto, com ele sendo nomeado Jogador do Ano na temporada de 1994/95, em que atuou pelo Tottenham Hotspur, clube ao qual retornou por empréstimo em 1998, quando evitou o rebaixamento da equipe praticamente sozinho. 

Ele também conquistou títulos durante suas passagens pela Inter de Milão e pelo Bayern de Munique, além de ter atuado por Stuttgart, Mônaco e Sampdoria. 

Ao pendurar as chuteiras, Klinsmann se mudou para a Califórnia, onde casou com uma norte-americana e constituiu família. Mas o apelo para retornar ao jogo se mostrou irresistível. 

Em 2004, ele assumiu como técnico da seleção da Alemanha, levando a equipe à semifinal da Copa de 2006 em casa, e por um breve período , em 2008, esteve à frente do Bayern de Munique.   Continuação...