No Brasil, Fernando Santos quer se despedir da seleção da Grécia em alta

sexta-feira, 16 de maio de 2014 11:47 BRT
 

ATENAS (Reuters) - A Copa do Mundo no Brasil será o "canto do cisne" do treinador português Fernando Santos, que encerrará seu contrato de quatro anos com a seleção da Grécia após a competição. 

O enigmático treinador de 59 anos, que assumiu no lugar de Otto Rehhagel em 2010, classificou a Grécia para grandes torneios, como a Eurocopa 2012, ocasião em que os gregos foram às quartas de final, e agora para a segunda Copa do Mundo consecutiva da seleção.

Santos assumiu a equipe nacional depois de várias passagens por clubes na Grécia, onde ele trabalha desde 2001. Ele agora optou por não renovar seu contrato e, após o Mundial, deve voltar para o futebol de clubes.

"A federações me pressionou para tomar a decisão final (a respeito da renovação do contrato), mas eu recusei a oferta", disse Santos no final de março.

"Eu quero tirar um tempo e pensar sobre meu futuro, sem pressão. Sou treinador e tudo é possível, desde voltar para Portugal, ficar na Grécia ou até ir para a China."

Os torcedores gregos irão sentir falta do estilo quieto mas eficiente do treinador, que é muito mais acessível a jogadores, torcida e diretoria do que era Rehhagel. 

Com a tese de que "primeiro a tática, depois a habilidade técnica", ele iniciou o trabalho na seleção após a eliminação na fase de grupos na Copa de 2010 e desde então manteve a equipe jogando sempre em alto nível.

Depois de uma ótima participação na Eurocopa de 2012, quando a Grécia, campeã em 2004, acabou superada pela Alemanha nas quartas de final, os comandados de Santos repetiram bom desempenho nas eliminatórias para a Copa no Brasil ao vencer oito dos dez adversários, ainda que tenham perdido a vaga direta para a Bósnia no saldo de gols. 

Os gregos passaram com facilidade pela Romênia na repescagem e acabaram sorteados no Grupo C, ao lado de Colômbia, Costa do Marfim e Japão, atual campeão asiático.   Continuação...