Paulo Bento terá chance de apagar más lembranças de Portugal

sexta-feira, 16 de maio de 2014 12:00 BRT
 

LISBOA (Reuters) - O técnico de Portugal, Paulo Bento, terá a chance de apagar as más lembranças que sua seleção guarda da Copa do Mundo quando chegar com seu time ao Brasil.

Bento jogou na seleção portuguesa na Copa de 2002, quando foram eliminados ainda na fase de grupos depois de uma campanha ruim. A derrota de 1 x 0 para a Coreia do Sul acabou sendo a última de suas 35 atuações internacionais.

Doze anos mais tarde, Bento volta ao grande palco do futebol depois de conduzir Portugal em segurança por águas turbulentas.

O ex-técnico do Sporting pegou um time desencantado em setembro de 2010 na esteira de um péssimo início de campanha classificatória para o Campeonato Europeu, tendo sido tirado do chapéu pela federação portuguesa depois que José Mourinho rejeitou suas propostas.

Bento rapidamente pôs ordem na casa, vencendo suas cinco primeiras partidas no comando, e manteve o vestiário sob controle apesar das desavenças públicas com Ricardo Carvalho e José Bosingwa, que acabaram deixando a equipe.

A seleção teve um desempenho surpreendente na Euro 2012, chegando à semi-final com a Espanha, mas perdeu na definição por pênaltis.

Como seria de se esperar de um ex-meio-campista, seus times tendem a exibir pragmatismo e consciência tática, embora Bento tenha conseguido se livrar da reputação, adquirida no Sporting de Lisboa, de fechar demais a retaguarda.

Na Euro 2012, Bento reagiu à falta de um atacante evidente escalando um triângulo no meio campo com Raul Meireles, João Moutinho e Miguel Veloso.

O trio abriu caminho para o talento de Cristiano Ronaldo e Nani nas laterais, transformando Portugal em uma das seleções mais empolgantes de se assistir no torneio.   Continuação...