Estádio da abertura da Copa tem teste incompleto em único jogo antes do Mundial

domingo, 18 de maio de 2014 18:22 BRT
 

Por Tatiana Ramil

SÃO PAULO (Reuters) - A Arena Corinthians recebeu neste domingo seu único jogo oficial antes da abertura da Copa do Mundo, sob chuva, e o teste foi apenas parcial, já que não houve lotação completa e nem todos os serviços puderam ser testados no estádio, entregue com atraso para o Mundial.

Por causa da demora na conclusão dos trabalhos, o estádio paulista só pôde receber uma partida oficial, na qual o Figueirense surpreendeu o Corinthians e venceu por 1 x 0, pelo Campeonato Brasileiro. O público pagante foi de 36.694, bem menos do que a capacidade total, de 68.000.

O Comitê Organizador Local (COL) da Copa admitiu em nota que o torcedor não encontrou no jogo deste domingo “100 por cento dos serviços que serão oferecidos na Copa do Mundo, e muito menos que os serviços deverão funcionar na mesma escala ou padrão da competição”.

A 25 dias da abertura do Mundial, com o jogo entre Brasil e Croácia, ainda há obras para serem finalizadas no entorno do estádio e o forro de parte da cobertura não será instalado a tempo, o que fez com que torcedores que estavam em determinados setores do estádio tomassem chuva no final do primeiro tempo e começo do segundo.

Outro problema deverá ser a rede de dados de telefonia móvel. Segundo o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, haverá deficiência em metade dos 12 estádios da Copa, incluindo o de abertura, devido à falta de instalação de redes wifi para reforçar o sinal de Internet.

Dentro da arena, construída na zona leste de São Paulo ao custo de quase 1 bilhão de reais, falta ainda instalar parte das cadeiras provisórias, que não foram usadas neste jogo oficial. Serão cerca de 20.000 assentos temporários, para aumentar a capacidade para os 68.000 lugares.

Durante a colocação destas cadeiras um operário morreu no final de março, ao cair de uma altura de 8 metros. O acidente causou a paralisação temporária dos trabalhos no local.

A obra ficou marcada ainda por outro acidente, que aconteceu em novembro do ano passado, quando um guindaste caiu ao tentar içar o último módulo da estrutura da cobertura metálica. Dois funcionários morreram e parte do estádio foi danificada. No total, oito pessoas morreram trabalhando em estádios da Copa.   Continuação...