May 20, 2014 / 7:31 PM / in 3 years

Titulares do Brasil veem pressão de atuar em casa como positiva

3 Min, DE LEITURA

SÃO PAULO (Reuters) - Os jogadores da seleção brasileira encaram de forma positiva a pressão de disputar uma Copa do Mundo em casa, mas admitem que terão que trabalhar para lidar bem com a ansiedade, segundo o lateral-direito Daniel Alves e o zagueiro David Luiz.

"Se você não é cobrado, dificilmente vai almejar alguma coisa, então a gente encara pela parte positiva, como uma oportunidade única", disse Daniel Alves a jornalistas em evento de um patrocinador nesta terça-feira, em São Paulo.

"A pressão que possa existir a gente aceita e vai ser gostosa, eu tenho certeza que a gente vai conseguir o prêmio final", completou o lateral do Barcelona.

Os jogadores da seleção se apresentam ao técnico Luiz Felipe Scolari na segunda-feira, no Rio de Janeiro, para o início da preparação para o Mundial, que começa em 12 de junho com a partida entre Brasil e Croácia, em São Paulo. O time ainda enfrenta México e Camarões pela primeira fase.

"Essa geração foi premiada para disputar a Copa do Mundo no Brasil. Estou muito feliz com isso, é uma grande oportunidade. Sei da responsabilidade, sei da pressão, mas sei que estou preparado", afirmou David Luiz.

O zagueiro do Chelsea reconheceu que vai ser difícil controlar a ansiedade até o início da competição e poderá ficar noites sem dormir.

"A gente tem que achar o equilíbrio. Até certo ponto (ter ansiedade) é bom, te deixa pensando no jogo. Demasiado é prejudicial, então a gente vai ter um trabalho para isso, é mais fácil a gente lidar com isso juntos. O grupo é muito aberto, todo mundo tem direito de opinar, todo mundo vai se ajudar", disse.

No ano passado, a seleção brasileira conquistou o título da Copa das Confederações em casa e teve grande apoio da torcida dentro dos estádios, apesar dos protestos que ocorreram nas ruas contra os gastos com o evento esportivo e por melhorias no serviços públicos.

O meia Oscar, do Chelsea, acredita que os jogadores não vão se abalar com possíveis manifestações e que estarão concentrados no Mundial, porém admitiu preocupação com os familiares que estarão viajando pelo país.

"A gente se preocupa com os parentes, porque sabe que é uma época de manifestações no país", disse Oscar.

Para Daniel Alves, os protestos devem ser pacíficos. "A gente não está alheio aos problemas que temos no país. Somos os primeiros a querer esta melhoria e evolução do país... o maior revolucionário do mundo, para mim, foi o Mandela, e ele pregava a paz. Acho que temos de fazer. Temos de defender nossos direitos, tentar evoluir o nosso país, mas que a paz prevaleça".

Reportagem de Tatiana Ramil

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below