Falcao García vai se juntar à seleção colombiana na Argentina

terça-feira, 20 de maio de 2014 21:01 BRT
 

BOGOTÁ (Reuters) - O atacante Radamel Falcao García, principal figura e incógnita da seleção colombiana para a Copa do Mundo no Brasil, se juntará à equipe na capital da Argentina, informou nesta terça-feira a federação de futebol local.

O anúncio pôs fim a rumores de que o jogador chegaria a Bogotá para informar a sua decisão de não jogar o Mundial por não estar completamente recuperado de uma lesão no joelho esquerdo.

"Radamel Falcao García se juntará aos seus companheiros em Buenos Aires. Atualmente o atacante colombiano continua seu trabalho físico no clube Monaco", disse a Federação Colombiana de Futebol em comunicado.

O atacante de 28 anos, grande estrela da seleção colombiana nas eliminatórias, sofreu em janeiro uma ruptura do ligamento cruzado anterior do seu joelho esquerdo durante uma partida de sua equipe pela Copa da França, o que o levou a ser operado.

Fontes da federação disseram que a decisão final sobre a presença ou não de Falcao no Mundial será conhecida no início de junho, quando vence o prazo para que o treinador argentino que comanda a seleção colombiana, José Pekerman, entregue uma lista definitiva de 23 jogadores.

Falcao, apelidado de "Tigre" e uma das principais figuras do futebol mundial na atualidade, foi incluído na lista preliminar de 30 jogadores elaborada por Pekerman.

Na eliminatória sul-americana para o Mundial, o atacante marcou nove gols em 13 partidas para deixar a Colômbia com a segunda colocação, atrás somente da Argentina.

Uma eventual baixa do atacante será muito sensível para Colômbia, que voltará a jogar um Mundial pela primeira vez desde 1998.

A Colômbia, que jogará contra Senegal e Jordânia antes de viajar para o Brasil, já conta com 26 dos 30 jogadores pré-selecionados por Pekerman em Bogotá, onde os jogadores são submetidos a avaliações médicas e trabalhos físicos de recuperação.

Na primeira fase do Mundial, a Colômbia está no Grupo C ao lado de Japão, Grécia e Costa do Marfim.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)