Brasil vai iniciar preparação para Copa atrasado em relação a adversários

quarta-feira, 21 de maio de 2014 18:03 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A seleção brasileira vai começar os treinamentos para a Copa do Mundo atrasada em relação a diversos adversários, inclusive a Croácia, rival da estreia, e a concorrentes ao título Alemanha, Itália e França.

Por decisão da comissão técnica brasileira, os jogadores convocados por Luiz Felipe Scolari ganharam ao menos uma semana livre e só vão se apresentar ao treinador em 26 de maio para iniciar os preparativos na Granja Comary, em Teresópolis (RJ).

Até a estreia contra a Croácia, em 12 de junho, o time terá 17 dias de preparação, o período mais curto das últimas Copas -- foram 25 dias para o Mundial na África do Sul (2010), 22 dias para a Copa da Alemanha (2006) e 22 dias a caminho da conquista do penta na Coreia do Sul e no Japão (2002).

Com o encerramento no fim de semana passado do Campeonato Espanhol, a última das grandes ligas da Europa a terminar, Felipão poderia contar com praticamente todos os atletas já nesta semana. A única exceção seria o lateral-esquerdo Marcelo, que vai defender o Real Madrid no sábado na final da Liga dos Campeões contra o Atlético de Madri.

Itália, França, Inglaterra, Alemanha, Holanda, Uruguai, Chile, Portugal e Croácia são algumas das seleções que já começaram a treinar para a Copa do Mundo, pelo menos com parte dos jogadores que disputarão o Mundial.

Os brasileiros, especialmente os que atuam em clubes do exterior (19 dos 23 convocados), aproveitaram o período de descanso para visitar familiares.

O preparador físico da seleção brasileira, Paulo Paixão, reconheceu que seria melhor ter mais tempo de preparação antes da estreia no Mundial, mas disse que a comissão técnica tem "convicção" no trabalho.

"Se você levar em consideração o tempo do treinamento desportivo, pelo menos quatro semanas de preparação seria o ideal, mas o tempo que temos tido nas últimas Copas do Mundo, Copa das Confederações, Copa América tem sido sempre esse e temos que nos adequar nesse período e aplicar os trabalhos", disse Paixão à Reuters, por telefone.   Continuação...