Valcke diz que estádio de Brasília, o mais caro do Mundial, é exemplo de legado

quinta-feira, 22 de maio de 2014 17:34 BRT
 

(Reuters) - O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, disse nesta quinta-feira que o Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, é um exemplo de legado da Copa do Mundo, apesar de a arena ter sido a mais cara do Mundial e da falta de clubes tradicionais na cidade.

"Brasília e o Estádio Nacional Mané Garrincha são exemplos positivos do legado da Copa no Brasil", escreveu o dirigente em sua conta no Twitter, após visitar a arena.

"Mais de 777 mil visitantes em apenas um ano. Mais público do que o antigo estádio recebeu em 36 anos", completou.

O estádio de mais de 46 metros de altura foi construído ao custo de 1,4 bilhão de reais no lugar do antigo Mané Garrincha, que foi totalmente demolido em 2010. A arena foi a mais cara entre as 12 da Copa do Mundo e é alvo de denúncias de suposto superfaturamento.

Inaugurada em maio de 2013, a arena de Brasília recebeu a abertura da Copa das Confederações no ano passado e será sede de sete partidas do Mundial, incluindo Brasil x Camarões, em 23 de junho, e a disputa do terceiro lugar.

Sem clubes na primeira ou na segunda divisões do Campeonato Brasileiro, o estádio foi palco de algumas partidas de times tradicionais, como Flamengo e Santos, assim que foi aberto, mas aos poucos foi sendo deixado de lado pelas principais equipes do país.

OUTRAS VISITAS

Valcke está no Brasil desde segunda-feira para visitar os 12 estádios do Mundial. Mais cedo nesta quinta, ele esteve no Mineirão, em Belo Horizonte, que também fez parte da Copa das Confederações de 2013.   Continuação...