Base da seleção na Copa, Teresópolis se preocupa com invasão de até 100 mil

sexta-feira, 23 de maio de 2014 10:39 BRT
 

Por Pedro Fonseca

TERESÓPOLIS (Reuters) - A cidade que servirá de base para a seleção brasileira na Copa do Mundo prevê receber até 100 mil pessoas durante o Mundial, uma invasão que Teresópolis aguarda com grande expectativa, mas preocupada que leve a um extrapolamento dos problemas vividos pela população.

A rede hoteleira comemora a taxa de ocupação de 93 por cento --e subindo-- para o período da Copa do Mundo, a partir da chegada da equipe do técnico Luiz Felipe Scolari em 26 de maio, enquanto moradores reclamam de ruas esburacadas, do engarrafamento diário e da falta de investimentos até mesmo na rodoviária, porta de entrada para boa parte do visitantes.

"A rodoviária está em petição de miséria", reconheceu o secretário de Cultura, Ronaldo Fialho, um dos encarregados da preparação da cidade para a Copa, em entrevista por telefone à Reuters.

"As pessoas estão nos cobrando muito a respeito da rodoviária. Mas o Brasil se preparou para a Copa? A nossa rodoviária está para a Copa como os aeroportos estão para o Brasil", disse.

"Teresópolis não fica na Noruega, onde tudo funciona, Teresópolis é um município do Brasil, com todos os problemas que o país tem", afirmou, ponderando, no entanto, que a cidade "vai dar conta da invasão de turistas e jornalistas".

O município da Região Serrana fluminense, com cerca de 150 mil habitantes e a 100 quilômetros do Rio de Janeiro, abriga o centro de treinamento da seleção brasileira na Granja Comary desde 1987.

Considerado antigo e inadequado, o local foi deixado de lado na preparação da equipe para os últimos Mundiais, mas passou por uma ampla reforma estimada em 15 milhões de reais, a pedido do técnico Felipão, para receber o time que vai disputar o Mundial em casa.

Além de modernizar as instalações, as obras serviram para isolar mais os jogadores, que antes tinham um contato próximo com a imprensa e com torcedores durante os treinamentos. A intenção foi aumentar a privacidade dos atletas e melhorar as condições de treinamentos.   Continuação...

 
Vista da Granja Comary, com a cidade de Teresópolis ao fundo. 26/03/2014 REUTERS/Sergio Moraes