25 de Maio de 2014 / às 15:38 / 3 anos atrás

Rosberg vence em Mônaco e volta à liderança da Fórmula 1

MÔNACO (Reuters) - O alemão Nico Rosberg venceu o Grande Prêmio de Mônaco pelo segundo ano seguido, neste domingo, e tirou das mãos do companheiro de Mercedes Lewis Hamilton a liderança do Mundial de Pilotos da Fórmula 1.

A segunda vitória de Rosberg na temporada, de uma pole position controvérsa que aumentou a tensão entre os dois candidatos ao título, levou o seu número pontos após seis corridas a 122 contra 118 de Hamilton.

O britânico, que reclamou a 13 voltas do fim que tinha algo no seu olho e não conseguia enxergar direito, foi o segundo colocado. A dominante Mercedes venceu pela sexta vez seguida e conseguiu a quinta dobradinha consecutiva.

"É outro dia especial para mim, certamente", disse Rosberg, sobre a sua quinta vitória na carreira. "Lewis pilotou bem e me pressionou muito. A pressão estava ali, mas eu me mantive calmo e abri uma vantagem no fim."

O australiano Daniel Ricciardo ficou em terceiro após perseguir Hamilton nariz a nariz até o fim, enquanto o tetracampeão mundial Sebastian Vettel, na sua centésima corrida pela Red Bull, abandonou depois de oito voltas com problemas na unidade de energia.

Rosberg lidou com duas intervenções do safety car antes de receber a bandeirada 9s2 à frente de Hamilton, depois de passar a primeira metade da corrida muito próximo ao companheiro.

Hamilton, que começou a polêmica no sábado ao sugerir que Rosberg poderia ter deliberadamente causado uma bandeira amarela na classificação para impedir o britânico de vencê-lo na briga pela pole, teve uma tarde relativamente discreta.

PROBLEMA NO OLHO

As brigas roda a roda e a rivalidade estilo Ayrton Senna e Alain Prost que muitos esperavam, ou torciam por, nunca se concretizou, e as esperanças de Hamilton desapareceram completamente quando disse à equipe no rádio que estava com um problema de visão.

"Foi algo que entrou pelo visor, não foi nada importante", disse ao ator Benedict Cumbertach, na entrevista pós corrida.

"Foi um bom dia para nós - é muito importante para o time conseguir mais uma dobradinha. Eu tive um ótimo ritmo e me senti rápido, mas é muito difícil ultrapassar", acrescentou, mesmo que a linguagem corporal indicasse que a dupla não pretende jantar junta.

Em uma corrida com 78 voltas e muito atrito, apenas 14 carros terminaram do grid de 22, em uma tarde seca, mas nublada, e Rosbergo colocou uma volta em todos os carros, exceto atrás.

A Ferrari de Fernando Alonso ficou em quarto, com Nico Hulkenberg em quinto pela Force India e Jenson Button, de volta aos pontos, em sexto pela Mclaren, depois que o time passou três corridas sem pontuar.

Felipe Massa foi sétimo com a Williams, à frente dos franceses Romain Grosjean, da Lotus, e o espetacular Jules Bianchi, da Marussia, apesar de ter sido punido duas vezes.

Os pontos de Bianchi, os primeiros da equipe russa desde que ela entrou na Fórmula 1, em 2010, com o nome de Virgin, abriu a garrafa de champagne que nem qualquer celebração de pódio.

O novato dinamarquês da McLaren, Kevin Magnussen, ficou com o ponto final, em décimo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below