Dilma ouve relato de jogadores sobre salários atrasados e se diz "estarrecida"

segunda-feira, 26 de maio de 2014 19:11 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - Após ouvir o relato de jogadores de futebol sobre as condições de trabalho, salários atrasados e reclamações sobre o calendário de partidas nesta segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff se disse "estarrecida" com a situação e determinou a criação de um grupo de trabalho para criar o Plano Nacional de Desenvolvimento do Futebol.

O movimento Bom Senso Futebol Clube, recebido por Dilma, reivindica desde o ano passado mudanças na organização dos campeonatos do país para garantir que todos os jogadores possam se manter em atividade durante o ano todo e quer punições esportivas aos clubes que atrasam salários e não cumprem contratos.

“A reunião foi muito mais proveitosa do que imaginávamos e a presidente disse estar estarrecida com a falta de compromisso dos clubes em relação aos salários”, disse o jogador Ruy Cabeção, atualmente sem clube. Ele afirma que dos últimos nove meses trabalhados, recebeu por apenas três.

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, declarou que o governo tem consciência de que "no fim do mês de abril boa parte dos atletas brasileiros não tinham onde exercer sua profissão". "São pais de família desempregados sem perspectivas de ganha-pão", acrescentou.

Segundo relato dos atletas, Dilma se comprometeu com o fortalecimento da Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte, a regulamentar a participação de atletas nas assembleias gerais das entidades e a criar um grupo de trabalho para a criação do Plano Nacional de Desenvolvimento do Futebol.

Os jogadores disseram que a presidente não estabeleceu prazos, mas afirmou que teria soluções em breve.

"A presidente se comprometeu para que esses pontos possam ser abertos em um futuro bem próximo", disse o meia Alex, do Coritiba.

(Reportagem de Jeferson Ribeiro)