Dilma rejeita “padrão Fifa” e diz que entidade não permite que ingressos sejam “democratizados”

terça-feira, 27 de maio de 2014 15:30 BRT
 

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff rejeitou nesta terça-feira o “padrão Fifa”, expressão usada em muitas manifestações no país para cobrar melhores serviços públicos, como forma para medir as obras para a Copa do Mundo.

Dilma citou o blog do jornalista Mário Magalhães para dizer que “o padrão Fifa é uma forma incorreta no Brasil de se tratar algumas questões”, ao discursar durante almoço em que o Partido Progressista (PP) anunciou apoio ao seu projeto de reeleição.

Segundo ela, o padrão Fifa é o “que cobra de forma bastante significativa os ingressos, não permite que os ingressos sejam mais democratizados”.

As declarações de Dilma ocorrem 16 dias antes da abertura do Mundial e logo após o ex-atacante da seleção brasileira Ronaldo, membro do Comitê Organizador Local (COL), dizer à Reuters que se sente “envergonhado” pelos atrasos das obras e investimentos previstos para o torneio.

“Os aeroportos, vocês me desculpem, mas não são padrão Fifa, são padrão Brasil... Não estamos fazendo aeroporto para a Copa ou para a Fifa, é para os brasileiros”, argumentou a presidente.

Ela lamentou ainda a visão pessimista sobre o torneio. “Tem uma mania no Brasil de se olhar para Copa e fazer uma avaliação crítica da Copa”, disse Dilma.

Ela pediu ainda que os brasileiros mostrem seu lado hospitaleiro para os visitantes, porque esse seria o legado que os turistas levariam do Brasil.

(Por Jeferson Ribeiro)