Na seleção croata, Eduardo da Silva admite que vai ficar dividido no hino

quarta-feira, 28 de maio de 2014 11:23 BRT
 

(Reuters) - Há 10 anos na seleção da Croácia, o brasileiro naturalizado croata Eduardo da Silva reconheceu que vai ficar dividido quando os hinos de Brasil e Croácia tocarem no jogo de abertura da Copa do Mundo, em São Paulo, daqui a 15 dias.

"É um momento difícil. Se eu tiver a oportunidade de cantar os dois hinos... acho que vou ficar dividido", disse o jogador em entrevista ao site da Fifa, divulgada nesta quarta-feira.

"Sou brasileiro e não vou deixar de ser. Mas tenho um amor muito grande pela Croácia, um carinho enorme pelos torcedores e pelos companheiros de equipe. Acho que posso falar: meu sangue é brasileiro, mas meu coração, hoje, é croata."

Eduardo da Silva nasceu no Rio de Janeiro e aos 16 anos foi jogar na Croácia após de destacar em um campeonato de comunidades. Ele jogou nas categorias de base do Dínamo e com 17 anos já estava no profissional.

Depois de quatro anos na Croácia, recebeu o convite do técnico da seleção sub-21 para atuar pelo país. "Foi uma decisão importante, falei com meus familiares, que entenderam e concordaram que era algo bom para o meu futuro", afirmou.

Apesar de estar na seleção há 10 anos, Eduardo da Silva, 31, tem agora sua primeira chance de disputar uma Copa do Mundo, já que em 2006 o técnico o considerava muito novo e em 2010 o time croata não se classificou.

E a partida de abertura será justamente contra o seu país natal, em 12 de junho.

"Perdi três competições grandes, porque teve a Euro 2008 também, em que estava me recuperando de lesão. Tive a experiência de jogar a Euro 2012, mas a primeira Copa é especial. Nunca imaginaria essa situação: ser brasileiro e ter a oportunidade de jogar uma Copa no seu próprio país, mas defendendo outra seleção", disse o jogador.

Eduardo da Silva não é titular da Croácia, mas com a suspensão do atacante Mandzukic para o jogo de estreia, ele tem chances de atuar desde o começo e garante estar preparado "mental e fisicamente para essa partida".

"A situação perfeita seria uma grande apresentação da Croácia. O Brasil é favorito para ganhar a Copa, não só este jogo, mas acho que a Croácia está se preparando muito bem e pode fazer uma grande partida", declarou ele.