Juntos em Paris e na Granja, zagueiros do Brasil fazem da convivência um trunfo

sexta-feira, 30 de maio de 2014 16:43 BRT
 

Por Pedro Fonseca

TERESÓPOLIS Rio de Janeiro (Reuters) - Thiago Silva e David Luiz tiram fotos juntos, formam dupla de futevôlei, são titulares da seleção brasileira e agora vão jogar lado a lado também no Paris St. Germain, um entrosamento dentro e fora de campo que ajuda a defesa da seleção brasileira a ser praticamente incontestável para a Copa do Mundo.

O bom desempenho em campo pode ser explicado em parte pelo rápido entrosamento conquistado por eles fora das quatro linhas a partir do momento que se conheceram na seleção. Serenos e de fala mansa, ambos têm personalidade semelhante e ficam juntos não só quando o time está em campo.

"O Thiago é um grande amigo, um grande jogador, uma pessoa com quem me dou muito bem. A gente se conheceu na seleção brasileira e desde sempre a gente se tornou muito ligado", disse David Luiz, de 27 anos, em entrevista coletiva nesta sexta-feira após treino da seleção na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), onde o Brasil se prepara para a Copa do Mundo.

Além da seleção, a dupla também passará a jogar junta após a Copa do Mundo no clube francês Paris St. Germain, que desembolsou um valor estimado em 50 milhões de euros para tirar David Luiz do Chelsea.

"Agora eu vou ter que conviver com ele mais do que com a minha família. Não é sempre que a gente tem a oportunidade de jogar com um jogador de tremenda qualidade como ele e além do mais uma pessoa maravilhosa", acrescentou. "É muito fácil lidar com uma relação com um companheiro de trabalho, um amigo que eu tenho, como essa."

Ao contrário de times brasileiros do passado, em que o ataque poderoso compensava a fragilidade defensiva, a equipe do técnico Luiz Felipe Scolari tem em sua linha de trás um dos pontos fortes para a disputa do Mundial que começa em menos de duas semanas.

Foram três gols sofridos em cinco jogos da Copa das Confederações, torneio conquistado pelo Brasil no ano passado com vitórias em todas as partidas, incluindo um 3 x 0 sobre a campeão mundial Espanha na final no Maracanã.

Grandes nomes como Pelé e Rivellino colocam a defesa brasileira como o melhor setor da equipe, mesmo com a presença de um jogador como Neymar no ataque.   Continuação...