Brasil treina com apoio de 10 mil torcedores em Goiânia

segunda-feira, 2 de junho de 2014 18:22 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

GOIÂNIA (Reuters) - Depois de uma semana treinando na Granja Comary para poucos privilegiados, a seleção brasileira sentiu o apoio da torcida nesta segunda–feira durante treino no estádio Serra Dourada, em Goiânia, local do amistoso com o Panamá na terça-feira.

Cerca de 10 mil torcedores, segundo os organizadores, acompanharam o treino do Brasil em clima de festa. A motivação dos torcedores goianos era típica de uma partida valendo três pontos. A cada toque na bola, os jogadores ouviam das arquibancadas gritos de incentivo e admiração.

Mais uma vez, o mais tietado durante o treino de pouco mais de uma hora foi ao atacante Neymar. Os gols em cobranças de falta e em cruzamentos na atividade comandada pelo técnico Luiz Felipe Scolari eram comemorados com muito entusiasmo.

“Tínhamos uma dívida com o torcedor de Goiás ainda da época da Copa das Confederações. Gostamos da forma como agiram, como trataram e esperamos 40 mil amanhã com o carinho que os jogadores necessitam“, disse Felipão a jornalistas.

A cidade de Goiânia não está entre as 12 sedes da Copa do Mundo, que começa em 10 dias, e foi escolhida pela seleção para receber um treino aberto ao público.

Ao final da atividade, os jogadores brasileiros foram ao público para agradecer a festa dos torcedores. Desde cedo, torcedores enfrentam filas no Serra Dourada para pegar entradas gratuitas para o treino de reconhecimento da seleção brasileira.

Para o jogo de terça-feira, ao menos 22 mil dos 40 mil ingressos postos à venda foram adquiridos. O ingresso mais barato custará 100 reais e o mais caro perto de 300 reais.

“A perspectiva é que cheguemos no limite da capacidade até amanhã. A cidade está respirando a seleção”, disse à Reuters o delegado do jogo, Adalberto Grecco.

Um forte esquema de segurança foi montado para o jogo do Brasil. Apesar do clima pacífico, o gramado do Serra Dourada estava cercado por policiais com cães e ainda havia homens do Exército, e seguranças à paisana.

Nas arquibancadas, dezenas de policiais se misturaram aos torcedores do Brasil.