Nova votação para sede da Copa de 2022 é uma das opções, diz candidato à presidência da Fifa

terça-feira, 3 de junho de 2014 14:24 BRT
 

Por Mike Collett

LONDRES (Reuters) - A Fifa tem mais opções além de uma nova votação para decidir a nova sede da Copa do Mundo de 2022 se ficarem provadas as alegações de corrupção na campanha vitoriosa do Catar para sediar o evento, disse o candidato à presidência da entidade que comanda o futebol mundial, Jérôme Champagne.

O francês, a única pessoa que declarou formalmente sua candidatura às eleições da Fifa do ano que vem --quase certamente contra o atual presidente, Joseph Blatter-- disse à Reuters estar longe de serem favas contadas que, se e quando a Fifa tiver que decidir por uma mudança, haverá uma nova votação.

“É muito simplista dizer simplesmente que deveria haver uma repetição da votação. O Catar teria permissão de repetir sua proposta se as alegações forem provadas? Dá para imaginar isso acontecendo? Não sei. Um atleta pode correr de novo se for pego no doping?”, indagou.

O Catar negou com veemência reportagens do jornal britânico Sunday Times de que autoridades teriam sido subornadas para levar o maior evento esportivo do mundo ao pequeno emirado do Golfo Pérsico.

O jornal relatou ter provas de que cerca de 5 milhões de dólares foram pagos a autoridades em troca de votos para a campanha do Catar.

O ex-funcionário no cerne das alegações, Mohamed Bin Hammam, do Catar e ex-presidente da Confederação Asiática de Futebol à época da decisão de conceder a competição ao seu país natal, ainda não comentou publicamente as alegações, que surgem às vésperas do Mundial no Brasil, que começa em 12 de junho na Arena Corinthians, em São Paulo.

O investigador da Fifa Michael Garcia vem analisando as alegações de má conduta na escolha dos países-sede das Copas de 2018 e 2022 há dois anos, e suas descobertas serão reveladas cerca de duas semanas após o término do Mundial no Brasil.

Houve especulações generalizadas de que, se as alegações mais recentes contra o Catar ficarem comprovadas, a Fifa ordenará uma nova votação.   Continuação...

 
Jérôme Champagne durante coletiva de imprensa em Londres. A Fifa tem mais opções além de uma nova votação para decidir a nova sede da Copa do Mundo de 2022 se ficarem provadas as alegações de corrupção na campanha vitoriosa do Catar para sediar o evento, disse Champagne, que é candidato à presidência da entidade que comanda o futebol mundial. 20/01/2014. REUTERS/Suzanne Plunkett