Levar Rossi seria arriscado demais, diz técnico da Itália

terça-feira, 3 de junho de 2014 18:21 BRT
 

(Reuters) - Giuseppe Rossi foi cortado da seleção da Itália para a Copa do Mundo porque levá-lo ao Brasil logo após uma lesão seria muito arriscado, disse o técnico Cesare Prandelli nesta terça-feira.

Prandelli se disse surpreso pela tamanho da polêmica causada pela decisão e reafirmou que o jogador nascido originalmente nos Estados Unidos, e que atua no ataque da Fiorentina, sabia desde o início sobre seu provável corte da lista final de 23 homens.

“Eu não esperava uma polêmica tão grande, isso causou algumas dificuldades e eu gostaria de esclarecer o que aconteceu”, disse Prandelli a jornalistas antes de um amistoso preparatório a ser jogado na quarta-feira contra Luxemburgo.

“Sinto uma grande responsabilidade em relação à seleção, aos torcedores, à Fiorentina, e levá-lo ao Brasil era um risco que não fazia sentido para mim, embora tivesse sido mais fácil selecioná-lo.

“Eu disse a ele que ele não tinha completado o processo de cura.”

Rossi, que voltou a atuar somente no início de maio após ter sofrido em janeiro sua mais recente lesão no joelho, fazia parte da seleção preliminar de 30 homens e jogou por mais de uma hora contra a Irlanda no amistoso de sábado.

“Eu me reuni com Rossi em Covericano (centro de treinamento da Itália) antes de anunciar a lista (preliminar) de 30. Fui falar com ele, avisá-lo de que ele havia jogado apenas poucos minutos desde sua recuperação da lesão."

“Eu tinha a intenção de dizer a ele que não estaria entre os 30, mas pensei que poderia dar um exemplo a todos, uma linda história a se contar. Agora, eu disse a ele que não estava entre os 23, e repeti duas vezes."

“Antes do último jogo, eu o chamei e disse para ele que de um ponto de vista físico, alguns dos testes eram bons e outros não tão bons”, acrescentou Prandelli.   Continuação...