Di María espera jogar pela Argentina o mesmo que pelo Real

terça-feira, 3 de junho de 2014 18:25 BRT
 

BUENOS AIRES (Reuters) - Vencer a Copa do Mundo no Brasil seria a jóia na coroa de uma temporada magnífica pelo Real Madrid, disse o jogador argentino Ángel di María, acrescentando que deseja repetir com a Argentina tudo que conseguiu alcançar pelo seu clube.

Di María, o último a se juntar à concentração da Argentina, afirmou que desde sua chegada ao país todos os seus compatriotas o pedem para trazer a taça do Brasil. Ele prometeu que fará o impossível para que o time liderado por Lionel Messi dê fim a quase três décadas de fracassos.

“Foi um ano muito bom, estou feliz... agora é pensar na seleção e tomara que as coisas me saiam da mesma maneira. Fui o melhor assistente do Campeonato Espanhol e da Copa do Rei, melhor jogador da final da Liga dos Campeões, penso que foi o melhor ano da minha carreira”, disse Di María em uma entrevista à TV Fox Sports.

“Tomara que na seleção eu possa fazer o que fiz no clube”, acrescentou.

Di María disse que o desejo dos 23 jogadores que vão ao Brasil é conquistar a taça do tricampeonato para seu país.

“Todos sabem que não é fácil conquistá-la e que fazem muitos anos que Argentina não é campeã nem chega a uma final. São coisas que temos que encarar com tranquilidade e saber que é possível, pois temos grandes jogadores, os melhores do mundo, vindos dos melhores clubes do mundo”, ressaltou.

O meia disse que a Argentina, campeã em 1978 e 1986 e finalista em 1990, sempre é candidata ao título, e acrescentou que não sentirá a mesma pressão dos anfitriões brasileiros.

“O Brasil vem da conquista da (Copa) Confederações sobre a Espanha, atual campeã (do mundo), deve estar com toda confiança, mas recebe mais pressão do que nós”, afirmou.

Di María é, junto com Messi, Gonzalo Higuaín e Sergio Agüero, uma das principais armas da seleção argentina para realizar o sonho de ganhar o Mundial.

Na primeira fase da Copa, a Argentina enfrenta Bósnia, Irã e Nigéria pelo Grupo F.

(Reportagem de Luis Ampuero)