Platini apoia possível nova votação para sede do Mundial de 2022

quinta-feira, 5 de junho de 2014 14:22 BRT
 

PARIS (Reuters) - O presidente da Federação Europeia de Futebol (Uefa), Michel Platini, uma das figuras mais proeminentes a votar quatro anos atrás pela realização da Copa do Mundo de 2022 no Catar, pediu que a votação seja repetida se as alegações de corrupção forem comprovadas.

A Associação das Federações Internacionais de Futebol (Fifa) está investigando as campanhas que deram o Mundial de 2022 ao Catar e o de 2018 à Rússia, incluindo alegações de que foram pagos subornos para garantir a vitória do Catar. Um ex-promotor dos Estados Unidos que chefia a investigação da Fifa deve entregar seu relatório em julho, cerca de uma semana após o final da Copa no Brasil, o que pode privar o Catar do torneio.

“Caso a corrupção fique provada, isso exigirá uma nova votação e sanções”, afirmou Platini, lenda do futebol francês, ao diário esportivo L'Equipe, apoiando pela primeira vez a potencial troca de sede da Copa.

A campanha do Catar vem sendo criticada há tempos porque o pequeno emirado não tem tradição no futebol, possui poucos torcedores e temperaturas que chegam a 50 graus Celsius nos meses de verão em que o Mundial é disputado.

Nesta semana o jornal Sunday Times publicou o que diz serem trechos de e-mails e dados financeiros vazados mostrando que milhões de libras esterlinas foram gastas em subornos para persuadir autoridades do futebol a votar pelo Catar, que nega as acusações.

Na entrevista Platini defendeu sua decisão de apoiar o Catar em 2010: “Não me arrependo de nada, acho que foi a escolha certa para a Fifa e para o futebol”.

À época, o Catar superou as propostas da Austrália, Japão, Estados Unidos e Coreia do Sul.

(Por Julien Pretot)