Feliz com harmonia na seleção, Felipão também espera clima de paz com torcida em SP

quinta-feira, 5 de junho de 2014 17:28 BRT
 

Por Pedro Fonseca

TERESÓPOLIS Rio de Janeiro (Reuters) - Mesmo sem ser a "Família Scolari", o atual grupo da seleção brasileira também mostra um clima de harmonia e amizade na preparação para a Copa do Mundo, que o técnico Luiz Felipe Scolari espera encontrar no público de São Paulo, tradicionalmente avesso à seleção.

Morador de São Paulo e com fortes laços com o Palmeiras, o técnico fará sua estreia pela seleção brasileira na cidade na sexta-feira, no amistoso contra a Sérvia, e seis dias depois voltará à capital paulista para a estreia na Copa do Mundo, contra a Croácia, em 12 de junho.

Felipão até perguntou ao comando da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) se poderia realizar o último amistoso antes do Mundial em outro Estado, em busca de um apoio popular à equipe, mas acabou se convencendo quando foi informado que a partida estava fechada para o Morumbi.

Agora o técnico espera uma mudança no histórico de vaias da torcida paulista à seleção brasileira, tanto para o amistoso e, especialmente, para a abertura do Mundial, na Arena Corinthians.

"Se a história diz que São Paulo é um pouco arredia à seleção, é hora de mudar a história. É hora de nós jogarmos de uma forma que agrade o torcedor e também de o torcedor ter um comportamento de apoio à seleção brasileira", disse Felipão em entrevista coletiva no centro de treinamento da Granja Comary, em Teresópolis (RJ), após o último treino antes do amistoso com a Sérvia.

"É hora de a gente receber também o carinho da população de São Paulo, sei que é difícil, mas está na hora", acrescentou.

Sob comando do ex-técnico Mano Menezes, o Brasil foi duramente vaiado numa vitória apertada por 1 x 0 sobre a África do Sul em São Paulo em 2012. Neymar foi um dos principais alvos, tendo sido chamado repetidas vezes de "pipoqueiro".

A preocupação com a recepção do torcedor de São Paulo se torna ainda maior depois que a seleção foi vaiada no início da partida de terça-feira contra o Panamá, em Goiânia, antes de Neymar abrir o placar e o caminho para uma goleada de 4 x 0.   Continuação...

 
Técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, observa treino da equipe em Teresópolis nesta quinta-feira, 5 de junho. REUTERS/Marcelo Regua