Nadal e Djokovic se encontram em esperada final de Roland Garros

sexta-feira, 6 de junho de 2014 18:45 BRT
 

Por Pritha Sarkar

PARIS (Reuters) - O sol demorou a aparecer no que tem sido um frio Aberto da França, mas o tempo abriu nesta sexta-feira ensolarada para Rafael Nadal despachar Andy Murray e carimbar vaga numa final ansiosamente esperada contra Novak Djokovic.

A tentativa de Murray de se tornar o primeiro britânico em 77 anos a alcançar uma final de Roland Garros se esvaiu na derrota de 6-3, 6-2 e 6-1 para o número um do mundo, que agora está a apenas uma vitória de erguer a taça de Roland Garros pela nona vez.

Para isso, ele vai precisar bater o seu grande rival sérvio, que ensinou a Ernests Gulbis que não há espaço na final do Aberto da França para um tenista indisciplinado, e derrotou o letão com parciais de 6-3, 6-3, 3-6 e 6-3, mantendo assim aceso o sonho de completar a conquista dos quatro Grand Slams.

Enquanto Djokovic passou a juventude apurando seu tênis em uma piscina vazia em Belgrado, Gulbis, filho de um dos homens mais ricos da Letônia, passou o tempo curtindo a vida.

Djokovic demonstrou nesta sexta-feira toda a habilidade que adquiriu em duas décadas de dedicação a sua arte e, apesar de ter sofrido com o calor no terceiro set, ele aguentou firme para encerrar a partida em quatro sets e poupar seu técnico Boris Becker do trabalho de ter que abrir um segundo frasco de protetor solar.

“Estou feliz que venci em quatro sets, porque se fôssemos para um quinto, Deus sabe qual rumo tomaria a partida”, disse o sérvio seis vezes campeão de Grand Slams, após derrotar seu amigo de infância.

“De repente, no meio do terceiro set, comecei a me sentir um pouco fisicamente cansado. Era possível ver que estávamos eu e ele sofrendo em quadra”, acrescentou.

O sofrimento se tornou ainda mais evidente no quarto set, quando, depois de Gulbis devolver a quebra de saque pela terceira vez, a cabeça de Djokovic esquentou ao ponto de fervura.   Continuação...