6 de Junho de 2014 / às 23:37 / 3 anos atrás

Seleção reconhece necessidade de ajustes após 1º tempo ruim contra Sérvia

SÃO PAULO (Reuters) - Os jogadores da seleção brasileira reconheceram o primeiro tempo ruim que a equipe fez na vitória por 1 x 0 em amistoso contra a Sérvia, no último teste antes da estreia na Copa do Mundo, e reconheceram a necessidade de “ajustes” antes da partida contra a Croácia, em São Paulo, em seis dias.

Neymar é marcado por Ivanovic em amistoso do Brasil contra a Sérvia em São Paulo. 06/06/2014 REUTERS/Paulo Whitaker

O futebol apresentado pela equipe do técnico Luiz Felipe Scolari na primeira etapa foi tão fraco que a torcida que lotou o Morumbi vaiou a equipe ao término da primeira parte, na qual os sérvios tiveram boas chances de marcar o primeiro gol.

“O primeiro tempo foi abaixo do que a gente pode render”, admitiu o capitão Thiago Silva. “A torcida tem todo o direito de cobrar, assim como nos jogadores estávamos nos cobrando dentro de campo.”

A Sérvia veio para a partida com uma proposta prioritariamente defensiva. Além disso, segundo os jogadores do Brasil, também atrapalhou o estado do gramado do Morumbi, castigado por um dia de chuva constante em São Paulo.

“A gente tem que acertar algumas coisas. Infelizmente tivemos alguns erros hoje, o campo não estava tão bom e o time deles se defendeu o jogo todo”, disse o meia-atacante Hulk.

O jogo do Brasil melhorou na segunda etapa, quando os sérvios não conseguiram mais manter a forte marcação. As alterações feitas por Felipão, como a entrada de Willian na vaga de Oscar, também surtiram efeito.

“Foi difícil para a gente encontrar os espaços”, disse Willian. “No segundo tempo a gente conseguiu criar um pouco mais de jogadas”, disse o meia do Chelsea.

O jogo no Morumbi foi o segundo consecutivo em que Willian entrou bem na equipe e justamente no lugar de seu colega de clube Oscar. Ainda assim, ele mantém os pés no chão e evita reivindicar a titularidade.

“Estou disposto a ajudar a seleção da maneira que for, seja como titular, seja entrando nos jogos. É claro que quem vai decidir é o professor Felipão”, disse, adotando tom politicamente correto.

Felipão também reconheceu a melhora da equipe na segunda etapa e avaliou que a marcação brasleira sobre a saída de bola do adversário melhorou depois do intervalo.

“Eles fizeram uma marcação mais ou menos boa no primeiro tempo, mas depois melhoraram a marcação sob pressão. Não é fácil fazer essa marcação nos 90 minutos”, afirmou o treinador em entrevista coletiva.

Felipão acredita que para o jogo de estreia na Copa, contra a Croácia, os brasileiros estarão numa condição física ainda melhor –ele ressaltou que da partida diante do Panamá, na terça-feira, houve uma melhora de 10 a 15 por cento. “Vamos melhorar mais, aí dá pra fazer”, disse.

O técnico do Brasil afirmou ainda que seu time precisa saber jogar em curtos espaços, já que normalmente enfrenta rivais recuados, como o Panamá.

“Agora com a Sérvia os dois atacantes jogaram quase que de volantes. No espaço muito pequeno dificulta muito. Se não movimentar muito bem e não tiver um passe com muita correção, vai ter contra-ataque”, explicou.

Reportagem adicional de Tatiana Ramil

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below