Brasil se prepara para invasão de "barrabravas" argentinos na Copa

segunda-feira, 9 de junho de 2014 17:40 BRT
 

Por Alonso Soto

BRASÍLIA (Reuters) - As manifestações anti-Copa do Mundo não são o único problema que as autoridades de segurança do Brasil deverão enfrentar durante o torneio: a invasão de torcedores da Argentina é outro.

Os chamados "barrabravas" são famosos por sua violência, e a polícia brasileira não vai correr riscos.

O Brasil planeja reforçar a segurança dentro e fora dos estádios nos quais a seleção arquirrival irá jogar, mobilizando policiais infiltrados e convocando policiais argentinos para localizar os arruaceiros, disseram autoridades policiais de algumas das cidades-sede.

“Não me importa como chamam estas pessoas. A polícia brasileira, em cooperação com a polícia do exterior, será dura na resposta a qualquer um que venha aqui cometer crimes", disse o secretário extraordinário de Segurança para Grandes Eventos, Andrei Rodrigues.

São esperados mais de 50 mil torcedores argentinos durante o torneio, muitos cruzando a fronteira em carros e ônibus.

O governo brasileiro já enfrenta a ameaça de protestos de rua de cidadãos que se opõem aos gastos com a Copa. As manifestações de meados do ano passado continuaram em escala menor, mas com episódios de violência.

Embora incidentes fatais sejam raros em Copas, os "barrabravas" têm um histórico de violência, do esfaqueamento de torcedores ingleses no México-1986 a lutas entre si durante o último Mundial, na África do Sul, quatro anos atrás.

Como torcedores de todas as partes, muitos argentinos não conseguiram comprar ingressos para jogos da Copa e se reunião aos milhares em torno dos estádios, o que pode criar problemas se os "barrabravas" se depararem com torcidas locais, algumas associadas à violência crescente no futebol brasileiro.   Continuação...

 
Torcida argentina em jogo contra Eslovênia em Buenos Aires no sábado.   REUTERS/Marcos Brindicci