Torcedores tentam driblar preços de hotéis com hospedagem gratuita na Copa

terça-feira, 10 de junho de 2014 14:51 BRT
 

Por Juliana Schincariol

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Enquanto os preços das diárias em hotéis seguem nas alturas às vésperas da Copa do Mundo, alguns torcedores ainda estão em busca de um lugar para ficar nas cidades que vão sediar os jogos do torneio, mas não pretendem pagar pela hospedagem.

"Eu me dei conta (e confirmei) que os albergues e hotéis no Brasil estariam realmente muito caros durante a Copa do Mundo", disse o norte-americano Luke Thompson, de 26 anos, que vai passar duas semanas no país e ainda procura hospedagem no Rio de Janeiro. Ele também vai assistir a jogos em Brasília, mas ficará na casa de um amigo.

Mesmo em cima da hora e ainda sem acomodação definida, Thompson e muitos outros turistas fogem dos preços altos, com a intenção inicial de não pagar por sua estadia no Brasil.

Para aqueles que não possuem amigos ou familiares nas cidades da Copa, que começa na quinta-feira e vai até o dia 13 de julho, uma das ferramentas mais utilizadas é a rede social de viagens Couchsurfing.

O site funciona por meio da chamada "moeda social": quem oferece o sofá hoje pode ser hospedado futuramente. Além da acomodação gratuita, a experiência de conhecer a cidade pelos olhos de um local também atrai os usuários.

Enquanto isso, nos hotéis em todas as 12 cidades-sede da Copa as diárias estão mais caras em junho, com aumento de até 83 por cento em relação a maio, segundo estimativas do Trivago, site que compara preços de hotéis.

O preço médio de junho mais barato é em Porto Alegre, de 389 reais e o mais caro no Rio de Janeiro, de 645 reais, de acordo com o Trivago.

Para driblar os preços, o empresário argentino Juan Pablo Sánchez e o irmão conseguiram hospedagem pelo Couchsurfing em Belo Horizonte. Eles também vão ficar nove dias no Rio e alugaram um apartamento, mas ainda procuram acomodação gratuita por mais duas noites depois que entregarem o imóvel.   Continuação...

 
Estátua do Cristo Redentor é refletida em óculos de sol de turista no Rio. REUTERS/Tony Gentile